Rádio Observador

Casas

Preço das casas sobe 9,2% no 1.º trimestre

103

O índice de preços da habitação aumentou 9,2% no primeiro trimestre deste ano face ao mesmo período de 2018. O aumento dos preços foi “mais expressivo” nas habitações existentes do que nas novas.

De janeiro a março o valor das vendas fixou-se em 6,1 mil milhões de euros

MARIO CRUZ/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

O índice de preços da habitação (IPHab) aumentou 9,2% no primeiro trimestre deste ano face ao mesmo período de 2018, menos 0,1 pontos percentuais do que no trimestre anterior, divulgou esta terça-feira o Instituto Nacional de Estatística (INE).

Segundo o INE, o aumento dos preços foi “mais expressivo” nas habitações existentes (10,0%) do que nas novas (6,0%).

Relativamente ao trimestre anterior, o índice de preços da habitação aumentou 3,6% (mais 1,6 pontos percentuais do que no último trimestre de 2018), sendo que, por categoria, os alojamentos existentes evidenciaram uma taxa de variação de 4,0%, 2 pontos percentuais acima da registada nos alojamentos novos.

De janeiro a março transacionaram-se 43.826 habitações, o que representa um aumento de 7,6% face a idêntico período de 2018, mas uma redução de 5,6% por comparação com o trimestre anterior, fazendo deste o terceiro trimestre consecutivo em que se verificou uma desaceleração no número de vendas de habitações.

Neste período, o valor das vendas fixou-se em 6,1 mil milhões de euros, mais 12,9% do que no primeiro trimestre de 2018, tendo sido o terceiro trimestre consecutivo em que o ritmo de crescimento do valor das transações dos alojamentos novos superou o dos alojamentos existentes.

Nos primeiros três meses de 2019, a taxa de variação média anual do IPHab fixou-se nos 9,5%, menos 0,8 pontos percentuais relativamente ao quarto trimestre de 2018, desacelerando pelo terceiro trimestre consecutivo.

Em termos regionais, as transações realizadas na Área Metropolitana de Lisboa e na região Norte representaram 63,8% do total até março, com o valor das habitações transacionadas a fixar-se nos 2,9 mil milhões de euros (47,5% do total) e nos 1,4 mil milhões de euros, respetivamente.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Legislação

Menos forma, mais soluções /premium

Helena Garrido

É aflitivo ver-nos criar leis e mais leis sem nos focarmos nas soluções. A doentia tendência em catalogar tudo como sendo de esquerda ou de direita tem agravado esta incapacidade de resolver problemas

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)