Uma obra-prima perdida de Caravaggio foi comprada dois dias antes de ser leiloada em França. A pintura, que foi encontrada num sótão de uma casa na cidade francesa de Toulouse, foi comprada por um estrangeiro, assegura o The Guardian.

Eric Turquin, um especialista em arte e pinturas antigas foi quem autenticou a pintura e avaliou-a entre 100 e 150 milhões de euros.

A pintura que retrata uma cena bíblica da viúva judia Judith a decapitar um general assírio adormecido, seria leiloada em Toulouse na quinta-feira mas antes da licitação começar um comprador estrangeiro interveio, disse Marc Labarbe, o leiloeiro que descobriu a pintura há cinco anos.

“O facto de a oferta vir de um colecionador próximo a um grande museu convenceu o vendedor a aceitar [a oferta]”, disse Labarbe. Afirmou, também, que não poderia revelar o nome do comprador ou o preço pago devido a um acordo de confidencialidade, mas confirmou que a pintura deixaria França.

Apesar de alguns especialistas italianos terem dúvidas sobre a autenticidade da pintura, Turquin afirmou que tinha a certeza de que a pintura era de Caravaggio. “Não é apenas um Caravaggio, mas de todos os Caravaggios que são conhecidos hoje, esta é uma das melhores obras”, afirmou Turquin.

Para Eric Turquin, o processo de limpeza que durou três semanas, “mostrou que a pintura foi muito alterada à medida que foi pintada, com muitos retoques. Isso prova que é um original.”

Turquin disse que a pintura marcou um ponto de viragem no desenvolvimento de Caravaggio como artista. Em 1606, Caravaggio estava fugido após ser condenado à morte por esfaquear um homem num desacato de rua e, por isso, Turquin considera que “pintava mais rápido, mais espontaneamente e de forma mais impressionante.”

Outros especialistas especularam que o artista flamengo Louis Finson, que trabalhou com Caravaggio, poderia ter acrescentado alguns retoques à tela, depois de Caravaggio ter partido para Malta em 1607.

A família proprietária da pintura — que não foi nomeada — acredita que tenha sido trazida para a França por um dos seus antepassados.