A plataforma Architizer A+ avalia anualmente milhares de projetos de cerca de 100 países de todo o mundo, e entrega dois diferentes galardões — o Prémio do Júri e o Prémio Votação Popular — resultantes das escolhas de um júri e do público.

Entre os nomeados para o concurso, que reúne 80 categorias para arquitetura, surgem cinco projetos portugueses, dois deles nomeados, cada um, para duas categorias.

É o caso do “Pavilhão do Atlântico”, em Viana do Castelo, projeto do ateliê Valdemar Coutinho Arquitectos, construído em 2018, como pavilhão desportivo da autarquia, nomeado nas categorias Detalhes Plus — Arquitetura de Betão, e Desporto & Centros de Recreação.

E o projeto “Lisbon Wood”, do ateliê Plano Humano Arquitetos, finalista nas categorias de Conceitos — Plus-Arquitetura + Renovação e de Residencial de Multi-Habitação (entre cinco e 15 andares).

O projeto “Lisbon Wood”, em Lisboa, construído em 2019, consiste num conjunto de apartamentos cujo edifício original era dedicado a serviços públicos, e foi remodelado para criar uma residencial de apartamentos.

Na categoria Comércio — Escritórios Interiores está nomeado o projeto do atelier Ventura + Partners, para os escritórios da Deloitte, em Lisboa, composto por diversas áreas de trabalho, construído em 2017.

Na categoria Conceitos – Plus – Arquitetura + Cor está nomeado o projeto “House 3000”, do ateliê Rebelo de Andrade, com estatuto de casa privada, no campo, numa herdade da zona de Alcácer do Sal, construído em 2018.

O “Pátio do Meco”, em Sesimbra, do ateliê de Fábio Ferreira Neves, está nomeado na categoria Residencial – Casa Privada, com data de construção de 2018, e com estatuto de ‘guesthouse’.

O júri dos prémios é anualmente composto por cerca de 500 profissionais das áreas da arquitetura, do design, jornalismo, engenharia e construção.

Promovidos a nível mundial pelo sítio na Internet de divulgação de arquitetura Architizer A+, os prémios são apresentados como “o maior programa de prémios a celebrar a melhor arquitetura e produtos do ano”, e que o seu objetivo é criar “um prémio que lembre ao mundo como a arquitetura é importante.”