“Yesterday”

Um estranho apagão a nível mundial no exato momento em que é atropelado na sua bicicleta por um autocarro, atira Jack Malik (Himesh Patel), cantor e compositor frustrado e herói de “Yesterday”, para um mundo alternativo onde os Beatles nunca existiram. E como Jack é um grande fã dos Beatles e conhece bem as suas canções, transforma-se, nesse mundo vazio dos Fab Four (em que também nunca ninguém ouviu falar de Coca-Cola, de tabaco e dos livros de Harry Potter) num inexplicável fenómeno da música e numa vedeta pop/rock à escala do planeta. Escrito por Richard Curtis e realizado por Danny Boyle, “Yesterday” aguenta a sua premissa de fantasia romântica e cómica até próximo do final, altura em que cede em bloco aos lugares-comuns piedosos e moralistas, com Jack a ter um rebate de consciência e a escolher o amor e uma vida banal e pelintra, à fama e à fortuna. Lily James é a apaixonada não correspondida e Ed Sheeran interpreta-se a ele próprio.

“Linhas Tortas”

Depois de várias curtas, telefilmes e outros trabalhos de televisão, Rita Nunes assina aqui a sua primeira ficção de maior fôlego. Luísa, uma jovem atriz (Joana Ribeiro), e António (Américo Silva), um respeitado jornalista e escritor, que assina Grigori Rasputine no Twitter, começam a falar nesta rede social, interessam-se um pelo outro e combinam um encontro, mas um acidente vai estragar-lhes os planos. “Linhas Tortas” marca pontos com um enredo sobre pessoas e vidas comuns apanhadas nos meandros e nos equívocos das redes sociais, filmado numa cidade que se reconhece e onde nos revemos, e pelas interpretações, com destaque para as de Joana Ribeiro, Américo Silva e Ana Padrão. O filme fraqueja após o acidente de António, tornando-se menos convincente e apetecível, ao passar a depender de uma coincidência que força a verosimilhança. E, já agora, uma rapariga tão inteligente e viva como Luísa nunca se apaixonaria por um tão óbvio traste como Pedro.

“Toy Story 4”

Neste quarto filme da saga dos brinquedos vivos, realizado pelo Josh Cooley e escrito por Andrew Stanton, Woody deixa de ser o brinquedo favorito da pequena Bonnie, perde a estrela de xerife para a vaqueira Jessie e vive agora com medo de ficar metido no armário e ser esquecido. Mas depois de conhecer Garfy, que Bonnie fez na escola a partir de um garfo de plástico descartável e que não se convence que é um brinquedo e já não um talher, Woody tenta tudo para o fazer perceber que ele é agora o favorito da menina, e quão importante Garfy é para ela. Os acontecimentos precipitam-se quando os brinquedos vão todos de férias com Bonnie e a sua família, Garfy foge da autocaravana e Woody vai à procura dele, acabando por reencontrar uma velha conhecida, a pastorinha de porcelana Bo Peep, e conhecer uma perigosa inimiga, a boneca Gabby Gabby, que tem um defeito de fabrico. “Toy Story 4” foi escolhido como filme da semana pelo Observador, e pode ler a crítica aqui.