O Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, convidou esta sexta-feira o seu homólogo francês, Emmanuel Macron, a visitar a Amazónia durante uma reunião informal bilateral realizada na cimeira do G20, em Osaka, no Japão.

Segundo informações transmitidas pelo porta-voz da Presidência, general Otávio Rêgo Barros, à imprensa brasileira, os dois líderes conversaram sobre questões climáticas, a fronteira entre Brasil e a Guiana, e acordos comerciais.

O porta-voz também esclareceu que Bolsonaro reafirmou a Macron o compromisso do país de permanecer no Acordo de Paris sobre questões climáticas.

O encontro ocorreu após críticas de líderes europeus a medidas do governo brasileiro relacionadas com o meio ambiente.

Macron tinha declarado numa entrevista, esta quinta-feira, que não assinaria acordos comerciais, especialmente o que está em discussão entre o Mercosul (bloco fundado por Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai) e a União Europeia há mais de 20 anos, se o Brasil deixasse o Acordo de Paris para o clima.

A chanceler alemã, Angela Merkel, também tinha afirmado na véspera de embarcar para o Japão que estava preocupada com a situação do desflorestamento no Brasil e que pretendia conversar com Bolsonaro sobre isto se tivesse oportunidade durante o G20.

Concluído em 12 de dezembro de 2015 na capital francesa, assinado por 195 países e já ratificado por 147, o acordo entrou formalmente em vigor em 04 de novembro de 2016, e visa limitar a subida da temperatura mundial reduzindo as emissões de gases com efeito de estufa.