Um grupo de manifestantes ambientalistas, que se juntaram em Paris após convocatória de um protesto pelo coletivo Extinction Rebellion, foram atingidos com gás pimenta por parte da polícia após desobedecerem a ordens para desmobilizarem.

De acordo com o Le Monde, os manifestantes estavam a bloquear a ponte de Sully, interrompendo a passagem naquela via. Sentados no chão e com os braços entrelaçados, os manifestantes recusaram as ordens policiais para saíram do local e assim permitir a circulação de carros.

De acordo com o Le Monde, em Frnaça a polícia podem utilizar sprays de gás lacrimogéneo depois de um primeiro aviso não ser respeitado por manifestantes. Em alternativa, pode ainda ser utilizado antes de qualquer aviso, caso a situação em causa seja violenta. Ainda assim, os polícias não terão respeitado uma nota de uso para aqueles sprays. O Ministério do Interior francês recomendou, em 2004, que os sprays em questão sejam utilizados a mais de um metro da pessoa atingida e apenas em jatos curtos. No vídeo, poder-se como alguns polícias não guardam essa distância e acabam por premir os sprays de forma mais demorada.

A manifestação começou ao meio-dia desta sexta-feira, dia em que foram registadas as temperaturas mais altas de sempre em França. Sob uma onda de calor, as temperaturas ultrapassaram os 40 graus em várias localidades. Em Gallargue-le-Montueux, no Sul de França, junto ao Mar Mediterrâneo, foi mesmo atingido o recorde de temperatura mais alta desde que esta é registada: 45,9%.