Há dados novos sobre a investigação que o Ministério Público lançou em 2016 ao negócio em torno do Moto GP de 2012, que se realizou no Autódromo do Estoril. O jornal Público adianta na sua edição deste domingo que a investigação, atualmente a cargo do Departamento de Investigação e Ação Penal de Sintra, revelou que desapareceram das contas de 2010 e 2011 mais de 2,6 milhões de euros relativos a subsídios.

O Público recorda que o negócio da realização do Moto GP de 2012 no Estoril (uma das provas dos mundial da mais importante categoria de motociclismo de velocidade) pode ter lesado o Estado em em cerca de seis milhões de euros.

O Estado detém a 100% a empresa Circuito do Estoril, através da Parpública.

“Os investigadores querem agora saber porque é os 2,6 milhões foram inicialmente contabilizados, quem é que os contabilizou e se houve intenção de falsear as contas para possibilitar a realização do Moto GP de 2012”, escreve o jornal.