O tenista sérvio Novak Djokovic iniciou esta segunda-feira a defesa do título de Wimbledon, terceiro ‘major’ da temporada, com uma vitória ante Philipp Kohlschreiber, num dia em que Alexander Zverev, Stefanos Tsitsipas, Naomi Osaka e Venus Williams foram eliminados.

A jogar pela 15.º vez no All Egland Club, onde o torneio Grand Slam londrino decorre até 14 de julho, Novak Djokovic estreou-se com uma vitória frente ao alemão Philipp Kohlschreiber em três ‘sets’, por p6-3, 7-5 e 6-3, em pouco mais de duas horas.

Apesar de um segundo parcial equilibrado, o sérvio e líder do ranking mundial não teve problemas para afastar o germânico (57.º ATP), que tinha vencido o encontro entre ambos em Indian Wells, mantendo intactas as aspirações de defender um título conquistado em quatro ocasiões (2011, 2014, 2015 e 2018).

“É uma enorme honra, provavelmente a maior na nossa modalidade, jogar aqui como campeão em título. Tenho sido privilegiado o suficiente para viver essa experiência em Wimbledon várias vezes na minha carreira”, disse Djokovic, que ‘estreou’ na sua equipa técnica Goran Ivanisevic, campeão de Wimbledon em 2001, numa final arbitrada pelo português Jorge Dias.

Além de lembrar, contudo, ser “humano” e sentir-se “nervoso”, Novak Djokovic admitiu não ter começado a defesa do título como havia imaginado, ao sofrer um ‘break’ no primeiro jogo.

“Mas penso que respondi com a intensidade certa e a devolver muito bem. A partir desse momento joguei um bom encontro, de bom nível e a servir bem. No geral, estou satisfeito”, reconheceu o sérvio que procura conquistar o quinto título e colocar-se ao lado de Bjorn Borg na quarta posição da lista dos jogadores com mais vitórias em Wimbledon.

Ao contrário de Djokovic, o alemão Alexander Zverev, número cinco mundial, foi surpreendido pelo checo Jiri Vesely (124.º ATP).

Depois de há um ano ter perdido na terceira ronda, o jovem germânico, de 22 anos, despediu-se do All England Club, ao perder em quatro ‘sets’, por 4-6, 6-3, 6-2 e 7-5.

Tal como Zverev, que nunca foi além dos oitavos de final na relva britânica, o grego Stefanos Tsitsipas, sexto na hierarquia ATP e campeão em título do Estoril Open, , foi batido pelo italiano Thomas Fabbiano, numa primeira ronda resolvida em cinco ‘sets’, por 6-4, 3-6, 6-4, 6-7 (8-10) e 6-3, ao cabo de três horas e 23 minutos.

Na competição feminina, à semelhança do sucedido na prova masculina, o primeiro dia de Wimbledon não foi isento de surpresas.

Enquanto a checa Karolina Pliskova, terceira do ranking WTA, ultrapassou a chinesa Lin Zhu, por 6-2 e 7-6 (7-4), e a romena Simona Halep bateu a bielorussa Aliaksandra Sasnovich, pelos parciais de 6-4 e 7-5, a japonesa Naomi Osaka e a norte-americana Venus Williams ficaram pelo caminho.

Osaka, número dois mundial, foi eliminada pela cazaque Yulia Putintseva (39.ª WTA), por 7-6 (7-4) e 6-2, e Venus Williams, cinco vezes campeã do ‘major’ inglês, foi ‘vergada’ pela adolescente Cori Gauff, de 15 anos, por duplo 6-4.

Com o triunfo diante a mais velha das irmãs Williams, com 39 anos, a também norte-americana (313.ª WTA) tornou-se na mais jovem jogadora a ganhar um encontro em Wimbledon desde Jennifer Capriati em 1991 e nos torneios do ‘Grand Slam’ desde Anna Kournikova no US Open de 1996.