As informações acerca do primeiro modelo 100% eléctrico que a Honda comercializará em solo europeu têm surgido a conta-gotas, com o fabricante nipónico a divulgar novos dados à medida que se vai aproximando a apresentação oficial do seu citadino a bateria, o que acontecerá ainda antes do final deste ano. Agora, o fabricante japonês veio esclarecer qual será, afinal, a potência enviada para as rodas traseiras pelo motor eléctrico: 110 kW (150 cv) e 300 Nm de binário.

Mas os mais de 31 mil interessados que o compacto eléctrico já terá arregimentado, segundo a última actualização da Honda, também ficam a saber que a bateria de iões de lítio que alimenta o motor eléctrico terá 35,5 kWh e aceita carga rápida. Se ligado a um posto de carregamento deste tipo, o Honda e recuperará 80% da capacidade da bateria em meia hora, promete a marca.

A autonomia, essa, continua no segredo dos deuses, mantendo-se a mera indicação de que o pequeno eléctrico japonês será capaz de percorrer mais de 200 km com uma carga completa. De caminho, o condutor pode socorrer-se apenas de um pedal para controlar o veículo pois, tal como a Nissan fez para o Leaf, também a Honda desenvolveu o seu próprio sistema tipo “e-Pedal”, permitindo que a aceleração e a travagem se processem gerindo exclusivamente a pressão sobre o acelerador.

De vocação eminentemente urbana, o Honda e anuncia um raio de viragem de 4,3 metros, o que o coloca no mesmo patamar do Renault Twingo, no que toca à facilidade de manobrar em cidade. Por outro lado, deve tirar partido do facto de ter uma bateria de tamanho compacto, ou seja, sem que o peso lhe penalize a agilidade. A somar a isso estará uma distribuição de massas ideal, de acordo com o fabricante, com 50% a incidir em cada eixo – o que, associado a um centro de gravidade que se encontra apenas a 50 cm do solo, deve assegurar ao eléctrico japonês um bom comportamento dinâmico.