O quadro “Amante do Vaticano”, da autoria do pintor espanhol Diego Velázquez, que esteve durante quase três séculos em paradeiro desconhecido, foi esta quarta-feira vendido por 2,495 milhões de libras (cerca de 2,8 milhões de euros), anunciou a leiloeira britânica Sotheby’s.

A tela, que retrata Olimpia Maidalchini, cunhada e amante do Papa Inocêncio X, estava avaliada entre os 2,2 e os 3,3 milhões de euros, tendo sido leiloada por cerca de 2,8 milhões de euros, revela a Sotheby’s, que foi responsável pelo leilão.

Olimpia Maidalchini, nascida em 1591, foi uma das figuras mais influentes da corte papal, tendo-se casado e enviuvado duas vezes, a última delas do irmão mais velho do Papa Inocêncio X.

Diego Velázquez pintou este retrato em 1650, durante a sua segunda viagem a Roma, um momento de “genialidade” deste artista espanhol, que foi responsável por algumas obras de arte célebres, nomeadamente o “Retrato de Inocêncio X”.

O último registo desta pintura datava de 1724, quando fazia parte da coleção do cardeal Pompeo Aldrovandi, de Bolonha e Roma.

A “Amante do Vaticano” acabou por tornar-se numa das poucas pinturas de Velázquez que permaneceram na posse de privados.