Rádio Observador

Coreia do Norte

Australiano desaparecido na Coreia do Norte foi libertado e está na China

O estudante universitário que desapareceu há duas semanas na Coreia do Norte foi libertado pelas autoridades de Pyongyang. Já está na China e deve viajar para Tóquio durante esta quinta-feira.

A família de Alek Sigley deu o alerta do seu desaparecimento em 27 de junho

THE SIGLEY FAMILY HANDOUT/EPA

O estudante australiano que desapareceu há duas semanas na Coreia do Norte, Alek Sigley, encontra-se seguro na China, após ter sido libertado pelas autoridades de Pyongyang, confirmou esta quinta-feira o primeiro-ministro australiano, Scott Morrison.

“Sabemos que está em segurança”, afirmou Morrison ao Parlamento, em Camberra.

Segundo o portal de notícias NK News, especializado em informações sobre a Coreia do Norte, Sigley está na China e deve viajar para Tóquio durante esta quinta-feira.

O estudante universitário, de 29 anos, que fazia um mestrado em literatura coreana na universidade Kim Il-sung, em Pyongyang, foi libertado após mediação pela diplomacia sueca.

“As autoridades suecas informaram-nos que se reuniram com altos funcionários da Coreia do Norte e levantaram a questão do desaparecimento de Alek”, disse o primeiro-ministro.

“Fomos informados de que a Coreia do Norte o libertou e que ele deixou o país e posso confirmar que chegou em segurança”, acrescentou.

A família de Alek Sigley deu o alerta do seu desaparecimento em 27 de junho, porque deixou de responder a mensagens através do WhatsApp.

Sigley organizava também visitas ao país hermético e, através da sua conta no Twitter, partilhava a sua vida como estudante em Pyongyang.

A sua última partilha, no dia 24, revelava imagens do hotel Ryugyong, um gigantesco edifício inacabado, que começou a ser construído na capital norte-coreana, no final dos anos 80.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Socialismo

Má-fé socialista /premium

José Miguel Pinto dos Santos

Não é a situação social em Portugal muito melhor que na Venezuela — e que nos outros países socialistas? Sim, mas quem está mais avançado na implantação do socialismo, Portugal ou Venezuela?

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)