À terceira foi mesmo de vez: depois de ter ficado na primeira ronda de Wimbledon em 2017 e 2018, após os dois triunfos em 2016 que eram o seu melhor resultado no All England Club, João Sousa fez esta quinta-feira história na relva britânica, vencendo no seu segundo encontro o croata Marin Cilic, 13.º cabeça de série do torneio, em três sets (triplo 6-4).

Com este triunfo, o vimaranense igualou a chegada à terceira eliminatória de 2016, quando derrotou o russo Dmitry Tursunov (3-6, 7-6, 4-6, 6-3 e 7-5) e o americano Dennis Novikov (6-4, 6-4, 3-6 e 6-4) antes de perder de seguida com o checo Jiri Vesely por 6-2, 6-2 e 7-5. Também em 2014 e 2015 o português tinha caído sempre na partida inaugural do torneio.

Em paralelo, Sousa conseguiu um outro feito, derrotando pela primeira vez na carreira num Grand Slam um antigo vencedor de um dos quatro Majors, neste caso o vencedor do US Open de 2014.

Na próxima ronda, o português irá defrontar o britânico Daniel Evans, que ganhou também esta quinta-feira ao georgiano Nikoloz Basilashvili também em três sets, com os parciais de 6-3, 6-2 e 7-6. Em caso de vitória, Sousa, de 30 anos, poderá igualar o melhor resultado de sempre no quadro de singulares num Grand Slam, conseguido no ano passado no US Open.