Cerca de 1000 crianças da Escola primária de Chongzheng, em Singapura, receberam Cristiano Ronaldo na manhã desta quinta-feira em perfeito êxtase. O craque português distribuiu abraços, camisolas e chuteiras, tendo ainda respondido às perguntas de seis alunos.

Durante a conversa, o jogador de 34 anos recordou a infância humilde que viveu na Madeira e como tudo mudou quando foi para a Academia do Sporting, aos 12 anos. “Venho de uma família muito humilde mas que sempre me deu oportunidades. Os meus pais disseram-me ‘se queres uma coisa vai atrás dela'”.

O jogador da Juventus confessou que “a parte mais difícil” do percurso foi ter de deixar a família e que chorou várias vezes. “Foi duro. Nada é fácil se não te concentras e trabalhas para conseguir”.

Durante 30 minutos, o discurso de Ronaldo foi maioritariamente positivo, incentivando a plateia jovem a trabalhar e acreditar nos seus sonhos. “Tudo é possível, nunca se rendam! Nunca baixem os braços. Estudem e foquem-se”.

Cristiano Ronaldo voltou a colocar em cima da mesa a possibilidade de vir a aumentar a família. “As crianças são o futuro, são a melhor coisa do mundo. Por isso, agora tenho quatro, mas não fecho as portas… Nunca se sabe. Talvez venha aí uma surpresa. Não sei. Vejamos o que o futuro trará”, disse.

Ronaldo é pai de Cristiano Júnior, Mateo, Eva e Alana Martina mas já tinha anteriormente revelado a vontade em chegar ao sétimo filho.

Esta não é a primeira vez que Ronaldo visita escolas em Singapura. Há seis anos, o futebolista foi o convidado especial de uma iniciativa da Fundação Olímpica de Singapura e marcou presença numa escola secundária em Jurong East