A Assembleia da República aprovou esta sexta-feira, por unanimidade, um voto de pesar apresentado pelo PS pela morte, na passada segunda-feira, aos 85 anos, do coronel Manuel Costa Braz.

“Homem de Abril, viveu entregue à causa pública, sem dela esperar privilégios ou galardões. À discrição associava uma hombridade incorruptível e assinou com autonomia e independência todos as linhas de um currículo impressionante”, assinala o voto dos socialistas.

Costa Braz foi ministro da Administração Interna no segundo e terceiro governos provisórios, chefiados por Vasco Gonçalves, e no primeiro e quinto governos Constitucionais, liderados por Mário Soares e Maria de Lourdes Pintasilgo, respetivamente.

Nascido a 4 de novembro de 1934, no Pombalinho, integrou a comissão política do Movimento das Forças Armadas (MFA). Como oficial, cumpriu três comissões de serviço nas ex-colónias, duas em Angola e uma na Guiné.

Foi o primeiro Provedor de Justiça do país, em 1975, e Alto Comissário Contra a Corrupção, entre 1983 e 1993.

“Deixa um legado maior que merece ser aplaudido pelo país livre e democrático que ajudou a construir. A Assembleia da República exprime o seu pesar pelo falecimento de Manuel Costa Braz e endereça aos seus familiares e amigos as suas sentidas condolências”, refere o voto aprovado pelo parlamento.