O Ministério Público dinamarquês acusou três homens de comprarem drones e outro equipamento para o Estado Islâmico, para serem usados “em ações de combate” na Síria e no Iraque.

Os três homens foram acusados ao abrigo da legislação antiterrorista em vigor na Dinamarca.

O procurador-geral Kristian Kirk disse que os três homens, de 30 anos, “deliberadamente e sistematicamente obtiveram muitas peças pequenas e componentes, que juntos podiam ser transformadas em armas poderosas para os terroristas”. “Parecia uma lista de compras para um hobby (…) mas é a sério”, acrescentou.

Os três homens compraram aviões de passatempo, drones e câmaras térmicas, assim como outros componentes, ferramentas e acessórios na Dinamarca, entre 2013 e 2017.

O julgamento está marcado para setembro, em Copenhaga.