Rádio Observador

Lesados do BES

Bandeiras pretas e emigrantes lesados do BES esperam António Costa em Braga

283

O líder do PS e também primeiro-ministro vai estar em Braga para a última sessão organizada pelo PS no âmbito da preparação do programa do partido para as legislativas.

JOSÉ COELHO/LUSA

Bandeiras pretas, cartazes em várias línguas e um grupo de cerca de 30 antigos e atuais emigrantes lesados do BES, que acusam o Novo Banco e o Governo de “burla à descarada”, esperam hoje António Costa, em Braga.

O secretário-geral do PS, e também primeiro-ministro, vai estar hoje naquela cidade para a última sessão organizada pelo Partido Socialista (PS) no âmbito da preparação do programa do partido para as eleições legislativas deste ano.

“Fomos burlados. Primeiro pelo antigo Banco Espírito Santo (BES) e depois pelo Governo. Foi-nos dito que havia uma provisão para cobrir a burla do BES, mas depois esse dinheiro desapareceu e foi desviado para pagar a dívida do BES a outros banco”, explicou à Lusa um dos representantes do grupo, António Cruz.

Estão à sombra, vão almoçando e distribuindo o que “cada um trouxe”.

“Alguns de nós sobrevivem com a ajuda dos outros. Ficaram sem nada. Confiaram nos gerentes dos bancos, alguns nem sequer sabiam ou sabem ler. Fomos todos enganados”, explica outra manifestante.

Prometem continuar os protestos: “Já fizemos mais de 100 manifestações. Nós e os lesados que viviam em Portugal. Depois uns aceitaram o acordo proposto e receberam algum, muitos de nós não receberam nada”, explicou o porta-voz.

A António Costa querem “pedir contas, porque se diziam e há papeis que dizem que havia dinheiro para pagar aos lesados, quer residentes, quer imigrantes, porque é que isso ainda não foi feito”.

“Até porque ele [António Costa] prometeu que o faria se fosse eleito”, acrescentou.

Segundo afirmam, foram alvo de “um engodo de papéis, leis e ladrões porque o dinheiro não se esfumou, em algum lado ele está”.

A convenção, marcada para as 15:00, será dedicada à temática “Sociedade Digital”.

Sob o lema Porque#TodosDecidem, foram organizadas, entre 15 de junho e hoje, quatro convenções temáticas centradas em quatro desafios nacionais (desigualdades, alterações climáticas, demografia e sociedade digital), que culminam numa convenção nacional, a realizar no dia 20 de julho, em Lisboa, com a apresentação do programa eleitoral.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Combustível

Os motoristas e o mercado

Jose Pedro Anacoreta Correira
880

Quando o Governo não consegue instrumentalizar politicamente os sindicatos, passa ao ataque. A luta e defesa dos trabalhadores é só para trabalhadores do Estado e filiados na CGTP.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)