Rádio Observador

Braga

Vai haver um novo santo português. Vaticano anuncia canonização do frei Bartolomeu dos Mártires

842

O Papa Francisco decidiu canonizar o frade e beato português Bartolomeu dos Mártires, anunciou o Vaticano, na sua página oficial na Internet.

GIUSEPPE LAMI/EPA

O Papa Francisco decidiu canonizar o frade e beato português Bartolomeu dos Mártires, anunciou este sábado o Vaticano, na sua página oficial na internet. Na sua página, a Arquidiocese de Braga revela que a cerimónia da canonização decorrerá em 10 de novembro.

A Santa Sé anunciou que a decisão foi aprovada na sexta-feira pelo Papa, durante uma audiência concedida ao Prefeito para a Congregação dos Santos, cardeal Angelo Becciu.

Francisco “alargou à Igreja Universal o culto litúrgico em honra do beato Bartolomeu dos Mártires, da Ordem dos Frades Pregadores, do Arcebispado de Braga”.

Segundo a Arquidiocese, a 20 de Janeiro, o Papa Francisco, em audiência à Congregação para a Causa dos Santos, “tinha concedido a autorização necessária à dispensa do milagre formalmente demonstrado para a declaração de santidade do beato Bartolomeu dos Mártires”.

O Arcebispo Primaz de Braga, D. Jorge Ortiga, entregou a 5 de fevereiro de 2015 ao Papa Francisco um dossier sobre a vida do antigo arcebispo de Braga, formulando o pedido de canonização equipolente (dispensa do milagre).

Autarca de Viana do Castelo destaca amor que frei Bartolomeu dos Mártires teve pela cidade

O presidente da Câmara Municipal de Viana do Castelo congratulou-se este sábado pelo anúncio da canonização de frei Bartolomeu dos Mártires, sepultado no concelho, salientando o amor que o novo santo da Igreja teve por esta cidade.

“Foi com grande alegria e emoção que tomei conhecimento da declaração de Sua Santidade o Papa Francisco em declarar Santo D. Frei Bartolomeu dos Mártires. Hoje é um grande dia para a Igreja, para a Igreja portuguesa e em particular para a Diocese de Viana do Castelo”, considerou José Maria Costa, numa mensagem enviada à Lusa.

“D. Frei Bartolomeu dos Mártires amou profundamente Viana e quis ficar sepultado em Viana do Castelo. Hoje, o povo de Viana e o povo da nossa ribeira estão em festa, pois têm uma enorme devoção e carinho por este novo Santo que, para eles, já o era há muitos anos”, acrescentou o autarca de Viana do Castelo.

Também o bispo diocesano de Viana do Castelo, Anacleto Oliveira, se congratulou com o anúncio, destacando que vai celebrar em 18 de julho uma missa em sua honra, na Igreja do Convento de São Domingos (Paróquia de Monserrate), onde está sepultado.

Em comunicado, Anacleto Oliveira diz sentir uma “profunda emoção e gratidão, por ver concretizado algo que os cristãos do Alto Minho há muito esperavam e desejavam”.

O bispo destaca também que a canonização ocorre numa altura em que a igreja diocesana de Viana do Castelo celebra 40 anos da sua fundação.

Bartolomeu dos Mártires (nascido Bartolomeu Fernandes) nasceu em Lisboa em 03 de maio de 1514 e faleceu em Viana do Castelo em 16 de julho de 1590.

Pertenceu à Ordem dos Pregadores e foi arcebispo de Braga entre 1559 e 1582, tendo tido uma participação importante no Concílio de Trento, como um elemento destacado da ala renovadora da Igreja de então.

Bartolomeu dos Mártires foi declarado venerável em 23 de março de 1845, pelo papa Gregório XVI, e beato, em 04 de Novembro de 2001, pelo papa João Paulo II.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)