Rádio Observador

Paula Rego

Paula Rego doou mais 28 gravuras ao acervo da Casa das Histórias em Cascais

184

A doação é a maior depois da abertura do museu Casa das Histórias Paula Rego, em 2009. Algumas dessas gravuras serão mostradas na exposição "Olhar para Dentro", em Cascais.

Em 2016, Paula Rego recebeu a medalha de honra da cidade de Lisboa

ANTÓNIO PEDRO SANTOS/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

A pintora Paula Rego doou 28 obras de gravura ao acervo da Casa das Histórias Paula Rego, em Cascais, revelou esta segunda-feira à agência Lusa a coordenadora da programação e conservação desta instituição, Catarina Alfaro.

Algumas dessas gravuras irão ser mostradas na exposição “Olhar para Dentro”, que reúne 60 anos de produção de obra gráfica de Paula Rego, com cerca de 200 peças, que será inaugurada na quinta-feira, na Casa das Histórias, em Cascais.

De acordo com a Fundação D. Luís I, que organiza a mostra com a Câmara Municipal de Cascais, no âmbito da programação do “Bairro dos Museus”, a exposição é inaugurada no dia 11 de julho, às 18h30, e ficará patente até 17 de novembro, na Casa das Histórias Paula Rego.

Com curadoria de Catarina Alfaro, a exposição apresentará entre desenhos preparatórios para a execução das gravuras, chapas de cobre e trabalhos mais recentes, e menos conhecidos.

“Olhar para Dentro” inclui doações da artista, que decidiu completar a coleção da sua obra gráfica pertencente à Câmara Municipal de Cascais, à Fundação D. Luís I e à Casa das Histórias Paula Rego.

Contactada pela Lusa, Catarina Alfaro sublinhou que esta doação “é extremamente importante, porque é a maior entregue desde a doação feita para abrir o museu Casa das Histórias Paula Rego, em 2009”, já que a artista portuguesa radicada em Londres tem vindo a fazer doações pontuais.

“São 28 obras de gravura de vários períodos criativos da artista, nomeadamente de séries como ‘Mutilação Genital Feminina’, ‘Life Room’ e ‘Dama de Pé de Cabra'”, precisou a programadora, conservadora e curadora da exposição, que é inaugurada na quinta-feira.

Entre outras temáticas, a exposição “Olhar para Dentro” revela ainda o gosto de Paula Rego pelo universo da literatura tradicional infantil através de um conjunto de gravuras inspirado em cantigas e rimas de berço inglesas, que a artista conhece desde a infância, aquando da sua educação no colégio inglês St. Julian’s School, em Carcavelos.

Nascida em Lisboa, Paula Rego, que completou 84 anos em janeiro deste ano, começou a desenhar ainda em criança, e partiu para a capital britânica com apenas 17 anos, para estudar na Slade School of Fine Art.

Em Londres conheceu o marido, o artista inglês Victor Willing, falecido em 1988, cuja obra Paula Rego já mostrou por várias vezes no museu Casa das Histórias, em Cascais, que detém um importante acervo de obras da autora.

Nas últimas décadas, a pintora tem abordado temas políticos, como o abuso de poder, e sociais, como o aborto, entre outros do universo feminino. Em 2010, foi nomeada Dame Commander of The Order of the British Empire pela Coroa Britânica, pela sua contribuição para as artes. Em 2016 recebeu a medalha de honra da cidade de Lisboa.

Paula Rego está representada em várias das mais importantes coleções públicas europeias, em museus e em prestigiadas exposições, em todo o mundo.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)