Vinte anos a editar discos e a ajudar a fazer o melhor hip-hop que se ouve em Portugal: eis uma marca redonda e importante que merece ser comemorada. Foi em 1999 que Samuel Mira, depois de experiências musicais em grupo e a solo, lançou o seu primeiro álbum de originais editado com o nome artístico Sam the Kid (STK).

Entre(tanto), concebido no seu “quarto mágico” em Chelas, começou a desvendar-lhe o talento, mas mesmo aí era difícil imaginar a dimensão e impacto do que se seguiria para STK — Sobre(tudo), o segundo álbum, sucessor de Entre(tanto); logo a seguir o marcante e maioritariamente instrumental Beats Vol 1: Amor; mais tarde Pratica(mente), quarto disco de STK e aquele que é para muitos o melhor álbum português de hip-hop de todos os tempos; e depois ainda, os discos lançados com a banda Orelha Negra, que integra, igualmente aclamados por crítica e público.

Nos últimos anos, Sam the Kid tem andado pouco nostálgico, propenso a criar projetos novos relacionados com o a música e a divulgação da cultura hip-hop: a plataforma digital TV Chelas primeiro, a compilação Mechelas depois (disco com batidas instrumentais de sua autoria e rappers convidados por si a dividirem protagonismo do microfone) e mais recentemente o álbum Classe Crua, gravado em parceria com o rapper Beware Jack.

Aproveitando, porém, a efeméride dos 20 anos de Entre(tanto), o rapper e produtor musical de Chelas vai fazer uma viagem ao passado e revisitar a discografia e a carreira em dois grandes concertos: a 18 de outubro no Coliseu dos Recreios, em Lisboa, e a 8 de novembro no Coliseu do Porto.

Nos dois Coliseus, Sam the Kid estará acompanhado por uma banda de colaboradores habituais — Fred Ferreira, Francisco Rebelo, João Gomes e DJ Cruzfader, os seus companheiros no grupo Orelha Negra — e ainda por “uma orquestra de 24 elementos, dirigida pelo maestro Pedro Moreira”, indica um comunicado enviado às redações. Trata-se, acrescentam os produtores dos espetáculos, de “dois concertos únicos e irrepetíveis”.

Os bilhetes já estão à venda, nas plataformas de venda Ticketline e bol, e custam entre 20 a 25 euros.