Fernando de la Rúa, ex-Presidente da Argentina, morreu esta terça-feira num hospital na cidade de Escobar, em Buenos Aires. O político de 81 anos estava hospitalizado em estado grave devido a uma “descompensação cardíaca e renal”, de acordo com a clínica Fleming de Buenos Aires, citada pela EXAME.

O atual Presidente da Argentina, Maurício Macri, já reagiu à morte de do político, escrevendo no Twitter: “Lamentamos a morte do ex-Presidente Fernando de la Rúa. A sua trajetória democrática merece o reconhecimento de todos os argentinos”.

De la Rúa foi deputado e prefeito de Buenos Aires. Em 1999 chegou ao ponto alto da sua carreira política, tendo sido eleito Presidente da Argentina para suceder a Carlos Menem. No entanto, no final de 2001 o governante decidiu abandonar o cargo, numa altura em que ocorria uma das maiores crises da história do país.

O antigo líder argentino já tinha estado internado este ano por problemas cardiorrespiratórios e o seu estado de saúde era considerado grave, tendo até sofrido uma infeção respiratória em janeiro deste ano e submetido a uma intervenção cirúrgica.

A última vez que Fernando de la Rúa apareceu em público foi em novembro do ano passado, no âmbito da cúpula do G20 em Buenos Aires.