A Seat fechou o primeiro semestre do ano com o melhor resultado da sua história, em termos comerciais: o construtor espanhol viu as entregas atingirem  314.300 automóveis, o que não só corresponde a um crescimento de 8,4% face a igual período de 2018, como deita por terra o recorde estabelecido no mesmo período de 2018 (289.900 unidades).

Estamos a crescer acima das expectativas iniciais e, além disso, estamos a fazê-lo num contexto difícil, com um número de novas matrículas sem subidas ou mesmo com quebras na maioria dos países europeus. Esta evolução favorável permite-nos ganhar quota de mercado e destaque. Pensamos que a segunda metade do ano será muito semelhante aos últimos meses”, realça o vice-presidente Comercial da Seat e CEO da Cupra, Wayne Griffiths.

A marca mais vendida em Espanha (64.200 unidades) conseguiu, ainda assim, crescer 3,2% num mercado onde o Leon é o líder destacado. Alemanha, Reino Unido, França e Itália são os outros mercados-chave que explicam esta performance comercial. Em França, as vendas (18.500; +17,1%) superam os números de 2011, ao passo que em Itália (14.900; +16,5%) correspondem ao melhor resultado na última década. Alemanha e Reino Unido, por sua vez, reclamaram 66.500 (+16,2%) e 37.700 (+5,1%) novas matrículas, respectivamente.

Em Portugal, o fabricante de Martorell vendeu, na primeira metade do ano, 6.240 novos automóveis, um incremento de 10,2% comparativamente ao período homólogo do ano anterior.

Junho foi o 10º mês consecutivo de crescimento de vendas, com 57.300 entregas em todo o mundo, mais 11,5% do que no mesmo mês de 2018.