Rádio Observador

Lifestyle

Neste verão, vá acampar: a sua saúde agradece

772

Temos cada vez menos contacto com a natureza. E é pena. Este hábito faz maravilhas na nossa saúde. Se não está 100% convencido, conheça vários benefícios que não deixaram margem para dúvidas.

Quando decide ir acampar, a sua saúde mental e física só têm a ganhar. Quem o diz (ou, melhor, demonstra) são os estudos, que já provaram as grandes mais-valias que este hábito pode ter na nossa vida, desde a nível de qualidade do sono e do humor até na gestão do peso. Que desculpas tem para não ir acampar? Mas, se ainda assim, não está completamente convencido, fique a saber mais sobre os vários benefícios que um belo acampamento e um maior contacto com a natureza podem trazer para a sua saúde. E para fazer desta uma experiência o mais agradável possível para si e para o resto da família, sugerimos-lhe cinco objetos que não podem faltar na sua “bagagem”. Prometemos que o vão ajudar a acampar com mais qualidade.

Pode ajudá-lo a dormir melhor

Idealmente, deveríamos regular o nosso dia a dia pela luz natural. Isto implicaria levantarmo-nos com o nascer do sol e dar por terminado o dia quando este se põe, altura em que emite uma luz mais amarelada, levando o nosso organismo a produzir melatonina, uma hormona que nos “diz” que é hora de dormir. No entanto, estamos cada vez mais expostos a luz artificial (do telemóvel, da televisão ou até dos candeeiros), que acaba por confundir o nosso relógio interior. Associado a este problema, está o facto de não termos hora certa para nos deitarmos. Ao acampar, guiamos-nos mais pelos ritmos da natureza, o que pode ajudar a regular o nosso ritmo biológico e, consequentemente, a dormir melhor.

Melhora o humor

Não é novidade nenhuma que estar ao ar livre é vantajoso para a nossa saúde mental, especialmente para quem vive em cidades. Um estudo, da Universidade do Michigan, descobriu que basta caminhar por alguns minutos pela natureza para reduzir sintomas depressivos, um problema comum de quem vive em meios urbanos. Mas tem também outra vantagem. Se faz parte do grupo de pessoas que costuma “ruminar” nos seus problemas (ou seja, pensar vezes sem conta naquilo que o preocupa), passar mais tempo ao ar livre pode ajudá-lo a reduzir esse tipo de pensamento negativo e obsessivo, que está muitas vezes na origem de problemas de saúde mental.

Faz maravilhas pelo seu peso

O sedentarismo é um cenário cada vez mais comum: trabalhamos sentados, deslocamo-nos de carro, chegamos a casa e vamos para o sofá. Por outro lado, estar ao ar-livre, no meio da natureza, traz ao de cima o nosso lado mais aventureiro e faz-nos querer explorar aquilo que está à nossa volta. Ser mais ativo — fazendo, por exemplo, alguns trilhos perto do local onde acampou — pode ajudá-lo a queimar algumas calorias, dependendo de fatores como a inclinação do terreno ou o peso da sua mochila. Já para não falar do exercício físico que montar uma tenda implica!

É um eficaz detox tecnológico

Quando é que foi a última vez que passou um dia sem tecnologia e a consultar as suas redes sociais? Vários estudos têm vindo a demonstrar que passar muito tempo em frente a ecrãs — desde as oito horas por dia a trabalhar ao computador, ao telemóvel que está sempre na nossa mão — pode favorecer a ansiedade e comprometer a qualidade do nosso sono. Já para não falar de que pode levar ao desenvolvimento de dores no pescoço, pela postura que adota quando está a olhar para o computador portátil ou telemóvel. Na natureza, o acesso que temos a aparelhos eletrónicos é nulo ou muito reduzido. E ainda bem. A mente e o corpo agradecem.

Purifica os seus pulmões

Acampar na natureza é uma ótima forma de tirar uma folga da poluição da cidade. Como se deve lembrar dos seus tempos de escola, as plantas “inspiram” dióxido de carbono e “expiram” oxigénio, contribuindo para que o ar fique mais puro. E os seus pulmões agradecem, claro. Monte a sua tenda e inspire profundamente.

5 coisas que não podem faltar na sua mala

1. Lanterna

A utilidade deste objeto dispensa grande explicações: vai precisar de uma lanterna para…ver no escuro. Na natureza não há candeeiros de rua, e, depois de o sol se pôr, seja o que for que precise de fazer à noite, uma lanterna vai dar sempre jeito.

2. Colchão de casal

Uma noite mal dormida pode ser quanto baste para que não consiga desfrutar do lado bom de acampar. Esse é, contudo, um problema do passado. Leve consigo um colchão insuflável. Nem vai conseguir distinguir entre a sua tenda e um quarto de hotel.

3. Powerbank

Quando vai acampar, é importante que consiga, até certo ponto, “desligar-se” do mundo. O que não quer dizer que tenha de se isolar completamente. É bom falar com o resto da família e amigos para partilhar as novidades. Mas a bateria do telemóvel não dura para sempre e as árvores não têm tomadas onde possa ligar o seu carregador. Leve consigo uma powerbank e mantenha-se contactável.

4. Bolsa para telemóvel

Imagine que está à beira de um rio e vai a correr para dar um mergulho. Atira-se e, no segundo em que está no ar, apercebe-se de que não tirou o telemóvel do bolso. Pronto, lá se meteu em despesas. Se, por outro lado, tiver uma bolsa para telemóvel à prova de água e de poeiras, essa deixa de ser uma preocupação. E até o telemóvel tem direito a mergulhar.

5. Grelhador

O verão pede refeições leves e rápidas de se fazerem. É por isso que nesta estação o aroma a churrasco invade as ruas. E haverá melhor cenário para preparar o seu almoço do que com vista para a natureza? Existem agora vários grelhadores perfeitos para campistas e que trazem o kit completo: do carvão, às pilhas, gel e até acendalhas. Só não inclui mesmo o peixe.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Conteúdo produzido pelo Observador Lab. Para saber mais, clique aqui.
Partilhe
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: obslab@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)