Rádio Observador

Forças Armadas

Portugal e Croácia assinam acordo para intensificar cooperação na Defesa

Acordo assinado no Forte de São Julião da Barra, em Oeiras, marca o início de um "novo momento de cooperação, de relacionamento mais intenso entre Portugal e a Croácia", diz o ministro da Defesa.

O documento dá destaque à Marinha, área na qual haverá um intercâmbio de cadetes e oficiais na formação

ANDRE KOSTERS/LUSA

Portugal e Croácia assinaram um acordo de cooperação na área da Defesa, que abrange áreas como a indústria ou o combate aos fogos, que pretende estreitar a relação e promover um “relacionamento intenso” entre os dois países.

O ministro da Defesa Nacional, João Gomes Cravinho, recebeu o vice-primeiro-ministro e ministro da Defesa da Croácia, Damir Krsticevic, no Forte de São Julião da Barra, em Oeiras, local onde foi assinado o acordo.

No final da cerimónia, o ministro português assinalou que é uma “grande satisfação” iniciar um “novo momento de cooperação, de relacionamento mais intenso entre Portugal e a Croácia”, assinalando que os dois países partilham “muito mais” do que aquilo que muitas vezes é lembrado.

“Ao assinar este acordo estamos a criar aqui um quadro para que, no futuro, tiremos o melhor proveito possível das nossas convergências, que são bastantes”, referiu João Gomes Cravinho, notando que, por exemplo, interessa olharem “juntos para as transformações em curso na União Europeia”, para “aquilo que se está a passar também no âmbito da relação transatlântica e na evolução da NATO” ou para as “indústrias de Defesa numa Europa em rápida transformação”.

Assim, este acordo de cooperação na área da Defesa vai permitir “lançar as bases para um relacionamento muito mais intenso e profícuo no futuro” e desenvolver “um trabalho muito mais profundo e de proveito mútuo para Portugal e para a Croácia nos tempos mais próximos”, assinalou o ministro.

Lembrando que a última vez que um ministro da Defesa croata esteve em Portugal foi há 12 anos e que há 15 que um ministro da Defesa de Portugal não se deslocava à Croácia, Gomes Cravinho defendeu que “é demasiado tempo, sobretudo atendendo às oportunidades que existem”.

O vice-primeiro-ministro da Croácia, Damir Krsticevic, destacou que o principal objetivo deste acordo é “aumentar a cooperação bilateral na área da Defesa”, sublinhando que isso é algo “muito bom para ambos os países”.

O também responsável pela pasta da Defesa daquele país apontou que uma das áreas a que o documento dá destaque é à Marinha, e informou que haverá um intercâmbio de cadetes e oficiais na formação.

Outro dos assuntos abordados na reunião entre os dois homólogos foi a “possível cooperação entre os esquadrões de combate aos incêndios”, revelou Damir Krsticevic, uma vez que “os dois países enfrentam desafios” durante as épocas mais críticas.

Também a segurança nacional esteve em cima da mesa, uma vez que “a Croácia implementou um sistema” nesta área, que se revelou “importante para combater os incêndios”.

“Estamos prontos para partilhar a nossa experiência, uma vez que Portugal manifestou interesse nisso”, apontou o vice-primeiro-ministro da Croácia.

Quanto à indústria de Defesa, os dois países acordaram em realizar futuros encontros entre especialistas da área, por forma a “aumentar a cooperação” neste âmbito.

Damir Krsticevic aproveitou a ocasião para convidar João Gomes Cravinho a deslocar-se à Croácia.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)