Todos os anos, no início do verão, a Herdade do Esporão abre as portas ao público para um evento recheado de festa e atividades conhecido como Dia Grande. A verdade, porém, é que na Herdade do Esporão não existem dias pequenos. Qualquer dia ali passado tem potencial para ser, senão um Dia Grande, pelo menos um grande dia. E isso deve-se não só à forma acolhedora como todos os visitantes são recebidos, mas também às inúmeras formas possíveis de preencher um dia completo na Herdade. Esta é a nossa sugestão.

10h00

As hortas do Senhor João Na Herdade do Esporão

as hortas dividem-se pelas estações. Assim, nesta altura do ano, será provável encontrar o senhor João atarefado na horta de verão. Até porque o verão é a época do tomate e aqui – entre muitos outros produtos – plantam-se seis variedades do fruto. “Esta é uma terra boa, mas rija, precisa de palha e estrume”, afiança o hortelão, otimista para a próxima colheita: “Se for como no verão passado, vai ser bem bom!”

10h45

A Torre e uma lição de História

Da horta ao centro da Herdade a viagem é curta em distância mas longa no tempo. D. Álvaro Mendes de Vasconcelos terá mandado erigir a estrutura no final do séc XV: é uma das mais importantes do país na transição da era medieval para a era moderna. Hoje, a Torre alberga um museu dedicado ao Complexo Arqueológico dos Perdigões, monumento megalítico descoberto na Herdade homónima, pertença do Esporão, que patrocina as escavações.

12h00

Uma mesa especial na cave

Não é preciso, sequer, gostar de vinho para encarar a descida à cave como um momento especial. Enquanto a temperatura desce, o espanto sobe graças à imponência deste espaço amplo – renovado recentemente – onde se alinham os vinhos produzidos nestas terras desde 1985. A cereja no fundo da cave é a fabulosa mesa da sala de provas, em madeira maciça, onde se vai poder pôr os lábios naquilo que os olhos acabaram de ver.

13h30

Nas mãos do chef Carlos Teixeira

O restaurante da Herdade do Esporão não existe apenas para matar a fome dos visitantes.

Pelo contrário, é uma das principais razões dessa visita. Na cozinha manda o jovem chef Carlos Teixeira, que tem vindo a torná-la o mais sustentável possível: por exemplo, o tomate que o senhor João planta na horta é usado em diversas receitas. Sem esquecer outros produtos e sabores alentejanos – afinal, estamos às portas de Reguengos de Monsaraz.

15h00

Muita parra, muita uva: o Campo Ampelográfico

Para ajudar à digestão, nada como um passeio pelas vinhas. Não por todas – são mais de 600 hectares – mas por aquelas que estão a contribuir para entender como as diferentes castas reagem às alterações climáticas. No Campo Ampelográfico estão plantadas quase duzentas: todas as do Alentejo e do Douro, as principais das outras regiões vitivinícolas, outras menos conhecidas e algumas internacionais com potencial de adaptação a este terroir.

16h00

Estar com os azeites

Desde o ano passado que é possível participar em provas do outro produto ex-líbris da Herdade: o azeite. E as diferenças entre os diversos azeites são assinaláveis, até para paladares destreinados: se a azeitona galega dá um azeite mais suave e amanteigado, a cordovil fá-lo mais fresco e picante. Antes, no lagar e no armazém (de cortiça), ficamos a perceber como é que se processa e guarda todo o azeite da Herdade do Esporão.

17h15

A pedal pelos trilhos da Herdade do Esporão

As bicicletas colocadas à entrada do Enoturismo não estão ali por acaso. É que há diversos trilhos que podem ser explorados – a pé também é uma hipótese – para melhor ficar a conhecer a fauna e flora da região. O olival e todas as vinhas estão plantadas em regime biológico, o que ajuda ao crescimento desse mesmo ecossistema e a Herdade tem trabalhado com biólogos para assinalar o que se pode encontrar no caminho.

18h30

O justo descanso do visitante

Depois do passeio, o visitante tem duas hipóteses: ou termina com um piquenique preparado pela cozinha do restaurante, à base de produtos locais, para fazer algures na propriedade – espaço não falta – ou regressa à base, para um último copo de vinho na esplanada, a contemplar a vinha a perder de vista. De uma forma ou de outra, esperar pelo pôr do sol é obrigatório. Não há outro igual.

Saiba mais sobre os programas e visitas à Herdade do Esporão em Esporao.com