Rádio Observador

Incêndios

A13 entre Avelar e Cabaços reaberta ao trânsito após incêndio em Alvaiázere

984

Um incêndio de grandes dimensões em Alvaiázere, distrito de Leiria, obrigou ao corte da autoestrada A13 entre os nós de Avelar e Cabaços durante a tarde. Incêndio está em fase de resolução.

Diogo Filipe/Facebook

A autoestrada A13 entre os nós de Avelar e Cabaços foi reaberta ao final desta tarde, depois de um incêndio de grandes dimensões ter deflagrado em Alvaiázere, distrito de Leiria. Diogo Filipe, bombeiro e autor do blogDiário de Um Bombeiro”, está no local e conta ao Observador que as “projeções descontroladas” chegaram a ameaçar o alargamento do incêndio. Em declarações à SIC Notícias, o comandante dos Bombeiros Voluntários de Alvaiázere confirmou que, por volta das 17h, o incêndio já se encontrava em fase de resolução.

Segundo a página da Proteção Civil, o fogo está ainda a ser combatido por 206 bombeiros com o apoio de 60 veículos. O alerta foi dado por um vigia por volta das 14h. O incêndio tem neste momento uma frente ativa numa zona florestal na localidade de Melgaz, freguesia de Pussos São Pedro e não há habitações em perigo. Segundo o CDOS, os meios irão manter-se em mesmo número no local, pelo menos até o fogo estar em fase de conclusão.

Todas as corporações de bombeiros do distrito de Leiria e algumas de Santarém estiveram a combater o incêndio. No local esteve também um grupo da Força Especial da Proteção Civil. O comandante dos Bombeiros Voluntários de Alvaiázere destacou ainda a “resposta musculada e rápida” perante um incêndio que se desenvolveu “de uma forma violenta e muito forte”, especialmente tendo em conta as temperaturas que rondam os 40ºC.

As primeiras imagens partilhadas nas redes sociais mostram colunas de fumo altas a surgir de uma zona de povoamento florestal. Segundo fontes no local, os carros dos bombeiros estão a concentrar-se na rotunda dos Bispos, a partir de onde estão a combater o incêndio ali perto. À agência Lusa, a presidente da Câmara Municipal de Alvaiázere, Célia Marques, explicou que a A13 foi encerrada entre os nós de Cabaços e Avelar, “não só devido ao fumo, mas também porque uma das vertentes se encontrava a arder perto” da via, entre o Barqueiro e Cabaços. As alternativas a estas estradas são a estrada nacional 110 e o itinerário complementar 8.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mlferreira@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)