“Her Smell — A Música nas Veias”

Elizabeth Moss produz este filme de Alex Ross Perry e interpreta o principal papel. Ela é a “punk rocker” Becky Something, líder de um mítico trio feminino que entretanto ficou para trás na cena musical. Becky é uma versão infernal de Courtney Love, carregada de copos e de droga, insultando e humilhando todos à sua volta, e arrastando atrás de si um xamã particular por causa dos “maus espíritos”. Apesar da atmosfera “alternativa”, do trabalho de câmara alucinatório e da banda sonora de filme de terror, a fita de Ross Perry é mais uma daquelas histórias convencionais de artistas transtornados por excessos de todo o tipo e  em rota de auto-destruição, que acabam por conseguir a redenção e atingir a paz interior mesmo em cima da linha. Moss passa dois terços de “Her Smell — A Música nas Veias” com a mudança do “overacting” engatada.

“Coração Aberto”

Estamos na Paris de finais da década de 70. Anne Parèze (Vanessa Paradis) é uma produtora de filmes pornográficos “gay” de vão de escada, cujos principais intérpretes começam a ser brutamente assassinados em situações sexuais extremas. Apesar da polícia estar em campo, Anne decide ir à procura do criminoso, por temer também pela sua vida. Realizado por Yann Gonzalez, “Coração Aberto” é um “pastiche” muito frágil (e por vezes involuntariamente ridículo) dos policiais italianos berrantes e sensacionais da época em que o enredo se passa, com cotoveladas ao estilo dos “porno” dessa altura, uns ademanes de cinema vanguardista e interpretações quase todas pavorosas.

“Na Sombra da Lei”

Mel Gibson, Vince Vaughn e Tory Kittles são os principais intérpretes deste policial de ação escrito e realizado por S. Craig Zahler (“Bone Tomahawk”, “Rixa no Bloco 99”). Dois polícias de uma cidade fictícia (Vancouver, na realidade), suspensos por terem sido filmados a alegadamente usarem excesso de força durante uma prisão, decidem mandar a legalidade à malvas e assaltar um traficante de droga, acabando por se ver envolvidos, juntamente com um delinquente menor negro, num grande assalto a um banco, levado a cabo pelo dito traficante e um bando de assassinos cruéis. “Na Sombra da Lei” foi escolhido como filme da semana pelo Observador, e pode ler a crítica aqui.