O Tribunal de Leiria condenou um militar da GNR a dois anos de prisão, suspensa por igual período, pela prática de um crime de peculato e de um crime de falsificação de documento.

Segundo uma nota da Procuradoria da Comarca de Leiria, ficou provado que o arguido se apoderou da quantia de 3.728,08 euros, que recebera por força das suas funções, referente à prestação do serviço de policiamento remunerado.

Este valor foi declarado perda a favor do Estado.

O inquérito foi dirigido pelo Ministério Público do Departamento de Investigação e Ação Penal de Leiria, coadjuvado pela Polícia Judiciária.