Uma forte trovoada acompanhada de chuva e granizo provocou danos avultados principalmente na agricultura ao nível das vinhas, olivais e soutos em vários pontos do concelho de Mogadouro, no distrito de Bragança, disse à Lusa fonte dos bombeiros de Mogadouro.

Segundo José Carrasco, comandante dos bombeiros de Mogadouro, os operacionais foram “solicitados para várias ocorrências em vários pontos do concelho”, acrescentando que os maiores prejuízos relatados foram ao nível das culturas agrícolas.

Já o presidente da junta de freguesia de Tó, no norte do concelho de Mogadouro, António Marcos, disse que o granizo que caiu na sua aldeia durante cerca de uma hora provocou danos avultados na agriculta, descrevendo as pedras de granizo como semelhantes a bolas de pingue pongue, o que pode ser comprovado por várias fotos colocadas na conta de Twitter do Meteo Trás-os-Montes.

As bolas de granizo ainda são visíveis em vários pontos da vila, onde decorre o festival Terra Transmontana.

O Instituto Português do Mar e Atmosfera (IPMA) emitiu um aviso laranja até às 20:00 para Bragança, devido à precipitação e possibilidade de ocorrência de trovoadas. No entanto, esta instabilidade climática é considerada “normal” pelos meteorologistas, com melhorias a partir de domingo. O aviso laranja foi ativado devido às chuvas fortes, trovoadas e queda de granizo e de saraiva (acima de cinco milímetros de diâmetro).

Um fenómeno que não era totalmente inesperado e está a ser provocado por uma depressão que se encontra sobre Portugal Continental. “Não é uma situação que esteja desenquadrada desta época, embora não se possa dizer que aconteça muitas vezes. É normal na Primavera e início de Verão”, adiantou à Lusa o meteorologista do IPMA Bruno Café.

Das ondas de calor abrasador às tempestades de granizo no verão. O que se passa com o tempo?

Este verão tem sido marcado por fenómenos climatéricos similares, embora de maior intensidade que na Itália e na Grécia provocaram danos bem mais graves. Na Grécia, houve mesmo o registo de seis mortos, na sequência de uma tempestade também com granizo que atingiu o norte do país na quinta-feira passada.

Pelo menos seis turistas mortos e centenas de feridos em tempestade no norte da Grécia

Na Itália, também na quinta-feira, houve registo de queda de bolas de granizo do tamanho de laranjas. A tempestade que se abateu sobre o leste do país provocou 18 feridos, inundações e quedas de árvores.

Queda de árvores e bolas de granizo do tamanho de laranjas. Tempestade provoca 18 feridos em Itália

O ministério da Agricultura já está “no terreno” a avaliar os estragos causados pela queda de chuva e de granizo que atingiu hoje vários pontos do concelho de Mogadouro, no distrito de Bragança.

“Os serviços do Ministério da Agricultura encontram-se no terreno a fazer a avaliação dos estragos causados pela queda de chuva e de granizo que hoje atingiu diversos pontos do concelho de Mogadouro, no distrito de Bragança”, indica o ministério liderado por Luís Capoulas Santos, em comunicado enviado à Lusa.

A tutela acrescenta que os seus serviços “estão focados na identificação de prejuízos materiais relacionados com situações que possam dar origem à necessidade de restabelecimento do potencial produtivo (infraestruturas de apoio à atividade agrícola e equipamentos)”. O Ministério da Agricultura lembra que a queda de chuvas intensas e de granizo constitui um risco coberto pelo sistema de seguros agrícolas de colheitas, que “está disponível para todos os agricultores” e que é subsidiado em 60% pelo ministério.

O presidente da Câmara de Mogadouro, no distrito de Bragança, disse à Lusa que são “muito avultados” os prejuízos no concelho, provocados por trovoada, chuva e granizo, durante a tarde. “Tenho conhecimento de que há prejuízos muito avultados provocados pelo granizo, não só na vila de Mogadouro, mas em grande parte do concelho. Ainda não é possível contabilizar os estragos já que a informação, só agora, começa a chegar”, disse à Lusa, Francisco Guimarães.