O Furacão Barry perdeu força ao chegar à costa do Louisiana e voltou a ser considerado uma tempestade tropical, informou o Centro Nacional de Furacões norte-americano. Ainda assim, são esperados ventos fortes, chuvas torrenciais e inundações. A tempestade chegou a solo norte-americano por volta das 13 horas locais (19 horas em Portugal continental), revela, por sua vez, a Associated Press.

No seu boletim das 11:00 locais de Miami (16:00 em Lisboa), o Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos indicava que o Barry era, na altura, um furacão de categoria 1 na escala Saffir/Simpson, que vai até à categoria 5, com ventos máximos de 75 milhas por hora (120 quilómetros por hora), depois de ter evoluído de uma tempestade tropical, noticiou a agência de notícias espanhola Efe.

O ciclone encontrava-se a meio da tarde, hora de Lisboa, a 40 milhas (65 quilómetros) a sul da cidade de Lafayette e a 50 milhas (80 quilómetros) a oeste de Morgan City. A Guarda Costeira informou que esteve em curso o resgate de mais de uma dúzia de pessoas numa remota ilha de Louisiana, devido às inundações provocadas pelo Barry.

De acordo com a suboficial Lexie Preston, algumas das pessoas estavam nos telhados na Ilha de Jean Charles, a cerca de 45 milhas (72 quilómetros) a sul de Nova Orleães. A responsável adiantou à Associated Press que o resgate está em curso e que quatro pessoas e um gato já foram retirados da ilha, de helicóptero, adiantando que um barco já estava a caminho da zona para ajudar a retirar os restantes habitantes.

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, aprovou na quinta-feira à noite a declaração do estado de emergência no estado de Louisiana, no sudeste do país, devido à tempestade tropical Barry.

A declaração autoriza o Departamento de Segurança Interna e a Agência Federal de Gestão de Emergências (FEMA, na sigla inglesa) a coordenarem as operações no terreno.

Para os próximos dias, preveem-se inundações em áreas próximas à costa devido à subida do nível do mar, às fortes ondas e às chuvas intensas.