As equipas da Red Bull e da Mercedes figuram entre as maiores rivais no mundial de F1. Mas, em breve, este duelo em pista vai também acontecer em estrada. Ou, pelo menos, entre hiperdesportivos homologados para circular em estrada aberta. Tudo porque o Mercedes-AMG One e o Aston Martin Valkyrie, concebido para o construtor britânico pela equipa de F1 da Red Bull, estão em vias de começar a ser entregues aos seus clientes. Isto embora o projecto alemão esteja mais atrasado.

Com o início da entrega dos Valkyrie aos 150 clientes que o adquiriram agendado ainda para 2019, a Aston Martin continua a finalizar o período de testes. Um dos últimos passos da fase de ensaios para o hiperdesportivo equipado com um 6.5 V12 atmosférico com 1.176 cv – cerca de 1.000 cv do motor a gasolina e o restante do motor eléctrico do sistema KERS – passou por uma exibição em Silverstone, durante os treinos para o Grande Prémio (GP) de Inglaterra.

Perante uma multidão de amantes de competição ao mais alto nível e de desportivos em geral, o Valkyrie demonstrou o seu valor em pista. Não tentou bater recordes, e logo ele que pretende ser o mais eficaz – onde vai ter de enfrentar o Mercedes-AMG One – em termos de comportamento. Mas isso não o impediu de demonstrar a sua eficácia e, acima de tudo, a raça da sua mecânica.

Ao contrário do One, que monta um motor de F1, o que é bom, na realidade tem instalada uma unidade sobrealimentada com apenas seis cilindros e 1,6 litros, o que não é propriamente o máximo em termos de nobreza. O 6.5 V12 do Valkyrie é mais potente (cerca de 700 contra 1.000 cv) e grita com uma sonoridade que os motores turbo não conseguem acompanhar, o que lhe confere algumas vantagens.

Resta saber como será quando os compararmos de cronómetro em punho, para ver quem é o mais eficaz em comportamento e o mais rápido numa volta em circuito.