Duas mil e setecentas pessoas foram retiradas da região de Argelès-sur-Mer, em França, por causa de dois incêndios que estão a consumir zonas de floresta em Aude e nos Pirinéus Orientais, avança o Le Figaro. Todas as pessoas são turistas que estavam acampados naquela zona balnear, onde 140 bombeiros e dois aviões Canadair estão a combater as chamas que já lavram desde pouco antes das 13h de Portugal Continental. Não há registo de feridos.

As últimas atualizações das autoridades, dadas às 17h30 de Lisboa (mais uma hora em Paris), indicavam que um dos incêndios está “circunscrito”, mas não “estabilizado”. A tarefa dos bombeiros está a ser dificultada pelos ventos de 70 quilómetros por hora que sopram neste momento nos Pirinéus Orientais, explica o Le Figaro. As rajadas estão a provocar a projeção de fagulhas, que podem começar novos focos de incêndios. “Pelo menos onze novos focos de incêndio foram registados só hoje”, disseram as autoridades.

Todos os turistas estão a ser recebidos em pavilhões, onde deverão passar a noite. Entretanto, a estrada RD914 — correspondente a uma estrada nacional em Portugal — foi encerrada em ambos os sentidos, a partir da saída número 10, que dá acesso a Argelès-sur-Mer. O trânsito também foi cortado na estrada RD611, que estava ladeada por chamas. Ali perto, no acampamento em Le Pinada, os turistas não podem sair ou entrar no local, já que os acessos estão todos cortados.

A 90 quilómetros desse incêndio, outra frente já queimou 250 hectares de floresta. O fogo está ativo desde as oito da manhã desta segunda-feira, hora portuguesa, e “continua a progredir lentamente”, apesar dos esforços dos 300 bombeiros chamados ao local.