Chama-se Freckless, a raia-manta, e ficou com anzóis presos debaixo de um olho enquanto nadava ao largo da costa da Austrália. A quem pedir ajuda? Aos mergulhadores que reconheceu de expedições anteriores, claro. E, depois de meia hora e várias tentativas, teve sucesso.

O episódio aconteceu na Costa Ningaloo, no oeste australiano. As imagens mostram a raia a aproximar-se dos mergulhadores e a mostrar-lhes que precisava de ajuda. Um dos membros da equipa removeu o anzóis — e as imagens tornaram-se um sucesso na internet.

Não foi da minha imaginação. A raia ia e voltava, virava-se e parava na água. E estava a olhar fixamente para nós, como que pedindo ajuda”, escreveu o fotógrafo Monty Halls no Facebook.

A equipa explicou que estava a nadar com o animal quando repararam no ferimento. “Depois de alguns minutos, reparámos que tinha anzóis presos debaixo do olho direito. E a raia estava constantemente a mostrar-se ao Jake, o nosso guia”, descreveu Halls.

O processo foi doloroso para o animal e levou cerca de meia hora. Jake usou um alicate para remover o anzol e foram precisas várias tentativas. A raia afastava-se mas voltava ao encontro do mergulhador para permitir uma nova tentativa. “Finalmente, ele lá conseguiu e a raia-manta assentou tranquilamente no fundo do mar e ficou connosco durante mais algum tempo”, contou o fotógrafo australiano.

Para Monty Halls, o pedido de ajuda de Freckles foi uma “clara ilustração” da inteligência e confiança dos animais. Foi também uma forma de mostrar que os animais se “associam fortemente à malta que os trata com respeito”, acrescentou.

Freckles (sardas) tem este nome devido às manchas que tem na barriga. Três semanas depois do episódio, Jake Wilton voltou a visitar a “senhora” com cerca de 30 anos e contou à BBC que o animal está bem. O mergulhador explica que entrou na água para ver como estava a raia e que ela o reconheceu. “A Freckles parou e esteve à minha volta durante uns 30 segundos. Ela pode ter-me reconhecido”, adiantou.

Wilton refere que os anzóis podem ter-se prendido ao olho da raia quando o animal nadava no fundo do mar para se alimentar de plâncton. Este é um problema de resto bastante comum em baías de corais. Barcos de pesca recreativa — outro problema para as raias — poluem a água e os pescadores descartam os anzóis, colocando em risco animais como Freckles.

As raias-mantas adultas podem pesar até 1650 quilos e viver durante 50 anos, de acordo com a National Geographic. Têm entre três e sete metros de comprimento e estão classificadas como espécie vulnerável na lista vermelha da União Internacional para a Conservação das Espécies Ameaçadas na Lista Vermelha da Natureza.

Freckles vai agora continuar a habitar em segurança na Costa Ningaloo, classificada como Património Mundial da UNESCO. Tem mais de 705 mil hectares e é um dos corais mais longos do mundo. Ningaloo significa, na língua aborígene australiana, “água profunda” e “promontório”.