Rádio Observador

Infraestruturas

Comissão ordena desmontagem de grua no Porto por incumprir normas de segurança

Em fevereiro e abril duas gruas caíram no Porto. Uma nova grua foi montada na Praça da República mas não cumpre as normas de segurança. Comissão de acompanhamento ordena desmontagem.

Em abril, a grua caiu sobre o telhado de nove habitações na zona das Fontainhas

Autor
  • Agência Lusa

A comissão de acompanhamento criada depois da queda de duas gruas na cidade do Porto ordenou a desmontagem de uma grua colocada junto a um edifício na Praça da República, por não cumprir a normas estipuladas.

A informação foi confirmada à Lusa na noite de segunda-feira pela Câmara do Porto que esclareceu que “detetada a situação, a grua está a ser desmontada”.

Junto à estrutura colocada em frente à fachada de edifício situado ao lado da entrada de um supermercado, estavam, ao início da noite, vários agentes da Proteção Civil e da Polícia Municipal a acompanhar a desmontagem da grua. De acordo com o município, em causa está “uma grua que foi montada, sem seguir as normas estipuladas pela comissão de acompanhamento”.

A criação de uma comissão de acompanhamento às montagens de gruas foi anunciada pela autarquia, no dia 6 de maio, depois da queda de duas daquelas estruturas. À data, município sublinhava que a comissão, constituída por elementos do movimento sindical, representantes dos empresários e da Proteção Civil, tem como missão acompanhar a montagem destes equipamentos, procurando minimizar qualquer risco.

Para além desta comissão, a autarquia anunciava ainda a criação de um grupo de trabalho, cuja missão prende-se com “a análise da legislação e regulamentos atuais, propondo eventuais medidas legislativas ou ações que possam melhorar a atuação do Estado e dos municípios”.

Na altura deste anúncio, a autarquia frisava, contudo, que “não cabe às autarquias certificar a montagem de gruas”, mas sim à Autoridade para as Condições de Trabalho (ACT) e aos promotores, a quem cabe garantir a fiscalização e a segurança. No entanto, estas regras, salientava o município, “parecem ser insuficientes”.

Recorde-se que, a queda de uma grua provocou, no dia 20 de abril, três desalojados e danos materiais em nove casas, levando a Câmara Municipal do Porto a ordenar a suspensão das licenças para instalação de gruas no espaço público.

Em 10 de fevereiro, uma outra grua caiu na Rua da Torrinha, no Porto, tendo destruído parte do telhado de uma habitação onde residiam duas estudantes, que tiveram de ser realojadas.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Combustível

Os motoristas e o mercado

Jose Pedro Anacoreta Correira

Quando o Governo não consegue instrumentalizar politicamente os sindicatos, passa ao ataque. A luta e defesa dos trabalhadores é só para trabalhadores do Estado e filiados na CGTP.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)