455kWh poupados com o Logótipo da MEO Energia Logótipo da MEO Energia
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

Adere à Fibra do MEO com a máxima velocidade desde 29.99/mês aqui.

Este ano, não haverá Milhões de Festa. Décima edição adiada para 2020

Este artigo tem mais de 2 anos

O festival de música alternativa e emergente de Barcelos comemoraria este ano a sua décima edição, mas autarquia e organização "acordaram não realizar o festival". Há regresso prometido em 2020.

A piscina do festival é outro dos pontos de interesse, além das propostas musicais emergentes e alternativas
i

A piscina do festival é outro dos pontos de interesse, além das propostas musicais emergentes e alternativas

Gonçalo Delgado/Global Imagens

A piscina do festival é outro dos pontos de interesse, além das propostas musicais emergentes e alternativas

Gonçalo Delgado/Global Imagens

Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O festival de música alternativa e emergente Milhões de Festa não se vai realizar este ano. A décima edição do festival de Barcelos — contabilidade feita a partir da implantação do festival na cidade, depois de uma passagem por Braga — estava prevista para este verão, mas foi adiada para 2020. A informação foi revelada esta terça-feira pela organização, através de um comunicado enviado aos jornalistas e através de uma publicação nas redes sociais.

Os motivos para que o festival não aconteça este ano não foram identificados claramente no comunicado, que refere apenas que “o município de Barcelos e a Lovers & Lollypops, parceiros e co-produtores do Milhões de Festa desde 2010, acordaram não realizar o festival em 2019, adiando para 2020 a décima edição desta colaboração”.

Ao fim de nove edições ininterruptas, a autarquia e a empresa consideram ter chegado o momento de reflectir sobre o espaço que o evento ocupa no panorama nacional e, com base nisso, redefinir a sua missão e estratégia. Trata-se de uma pausa que terá em conta o sucesso das nove edições realizadas em Barcelos e que em nada compromete o trabalho e a história do evento”, aponta o comunicado.

Lembrando que desde 2010 passaram pelo Milhões de Festa artistas e bandas como Electric Wizard, Alt-J (que posteriormente atingiram um grande grau de popularidade), Connan Mockasin, Squarepusher, Graveyard, Jacco Gardner, Boogarins, Earthless, Shame, Michael Rother, Sons of Kemet, The Comet is Coming, faUSt & Gnod e Nubya Garcia, “entre muitos outros”, a organização descreve o festival como tendo sido ao longo destes anos “referência obrigatória para melómanos, curiosos e apreciadores de música”.

No ano passado, em entrevista ao Observador de antecipação à última edição, o organizador Joaquim Durães recordou a história do festival e lembrou o que norteou o seu nascimento: ” Havia algumas sonoridades que na altura não estavam bem representadas ou não estavam de todo representadas nos festivais portugueses. Sentíamos que tínhamos algo interessante a propor e um público disponível para receber as nossas propostas.”

Não há festa como esta: a história do Milhões

A página está a demorar muito tempo.

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.

Atenção

Este artigo só pode ser lido por um utilizador registado com o mesmo endereço de email que recebeu esta oferta.
Para conseguir ler o artigo inicie sessão com o endereço de email correto.