O ministro dos Negócios Estrangeiros português disse esta terça-feira que o Governo se regozija com a eleição de Ursula Von der Leyen na Comissão Europeia, sublinhando que os seus compromissos “vão todos no sentido certo”. Por seu lado, Marcelo Rebelo de Sousa desejou “os maiores êxitos” à nova presidente.

“O Governo regozija-se com o resultado da votação e a eleição por parte do Parlamento Europeu da personalidade proposta pelo Conselho europeu para o exercício da presidência da Comissão Europeia”, afirmou Augusto Santos Silva à margem da comissão parlamentar de Negócios Estrangeiros onde esteve a ser ouvido esta tarde.

“Como o primeiro-ministro teve ocasião de dizer ontem [segunda-feira], entendemos que os compromissos assumidos pela presidente eleita são muito claros e vão todos no sentido certo”, disse o chefe da diplomacia português.

Segundo Santos Silva, a nova presidente da Comissão Europeia pauta-se pela “defesa do Estado de Direito, defesa do completamento da União Económica e Monetária, defesa da criação do instrumento orçamental para a competitividade e a convergência e defesa da atenção que a Europa toda deve prestar à transição energética e à descarbonização da nossa economia”.

Os compromissos de Ursula Von der Leyen tomou enquanto candidata “indicam que dirigirá uma comissão no sentido” que Portugal sempre defendeu: “maior integração europeia, maior capacidade da Europa de responder às necessidades dos cidadãos e assegurar a prosperidade das nossas economias, assegurar a convergência económica e social no interior da União Europeia, defender o Estado de direito e o protagonismo da Europa nas grandes agendas do mundo de hoje”, concluiu.

Já o chefe de Estado português, Marcelo Rebelo de Sousa felicitou Ursula Von der Leyen e também o Parlamento Europeu e Conselho Europeu por este “final feliz”.

Numa nota divulgada no portal da Presidência da República na Internet, Marcelo Rebelo de Sousa considera que esta eleição é “muito importante para o normal funcionamento das instituições europeias”. “Com este resultado, a presidente Ursula Von der Leyen será finalmente a primeira mulher a ser eleita para dirigir os destinos da Comissão nos próximos cinco anos”, salienta o Presidente da República.

A alemã Ursula Von der Leyen, de 60 anos, do partido União Democrata-Cristã (CDU), foi eleita nesta terça-feira para a presidência da Comissão Europeia pelo Parlamento Europeu, numa votação em que obteve 383 votos a favor, 327 contra, 22 abstenções e um voto nulo.

A candidata indigitada pela Comissão Europeia para presidir à Comissão Europeia irá suceder em 1 de novembro ao luxemburguês Jean-Claude Juncker, que liderou o executivo comunitário nos últimos cinco anos, e será a primeira mulher a ocupar este cargo.

Segue-se agora o processo de composição do novo Colégio de Comissários, que será submetido a um voto de aprovação em outubro.