O ministro francês do Meio Ambiente, François de Rugy, renunciou ao cargo esta terça-feira depois de ser acusado de utilizar indevidamente dinheiros públicos.

O Site Mediapart divulgou uma investigação onde acusa o político de gastar dinheiros públicos em jantares de luxo com amigos, nos quais alegadamente servia lagosta e vinhos vintage, e em remodelações no seu apartamento, enquanto era orador no parlamento Francês.

Em reação às acusações, Rugy confirmou ter feitos tais jantares considerando algo normal para um orador do parlamento. No entanto, disse “não gostar” de lagosta e que tem “intolerância a crustáceos”. “Eu odeio caviar e champanhe dá-me dor de cabeça”, acrescentou ao canal francês BFM TV, citado pela BBC News.

Numa publicação no Facebook partilhada esta terça-feira, diz que não tem dúvida das intenções da Mediapart em “prejudicar, sujar, e demolir” a sua imagem. Confirmou ainda que vai avançar com um processo por difamação.

Depuis le début de la semaine dernière, Mediapart m’attaque sur la base de photos volées, de ragots, d’approximations,…

Posted by François de Rugy on Tuesday, July 16, 2019

As alegações surgiram no contexto dos protestos dos coletes amarelos sobre desigualdades e acusações ao desempenho do presidente francês Emmanuel Macron.

Macron já reagiu à demissão. O palácio presidencial divulgou um comunicado onde diz que o presidente “respeita, de forma a que (François de Rugy) se possa defender total e livremente”, cita a BBC.