APM, de Accessible People Mover, é o mais recente projecto em desenvolvimento pela Toyota. Desta feita, como forma de apoiar os Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Tóquio 2020, quer fornecendo uma viatura de acesso facilitado para pessoas com mobilidade reduzida ou condicionada, quer assegurando o transporte de visitantes e funcionários ou, ainda, apoiando missões de socorro.

O APM é um eléctrico com cerca de 3,9 metros de comprimento, 1,6 metros de largura e 2,0 metros de altura, que oferece 100 km de autonomia, podendo circular até a uma velocidade máxima de 19 km/h. A versão base, ou seja, a que se destina sobretudo ao transporte de “última milha”, pode ter dois tipos de configuração, partindo sempre de uma disposição com três filas de bancos. Na primeira fila estará o banco do condutor, a segunda fila acolhe três passageiros e a terceira dispõe de dois lugares. Mas a lotação total de seis ocupantes também pode baixar para quatro, dobrando os assentos da segunda fila para ceder lugar a uma cadeira de rodas. O veículo conta com pontos de fixação e rampas para facilitar o acesso a cadeiras de rodas, além de barras de segurança de ambos os lados para ajudar os passageiros a entrar e a sair.

Já a versão que se destina a prestar socorro é em tudo igual ao modelo base, só que aí metade do espaço da segunda e da terceira fila está reservada para uma maca, havendo ainda espaço para que o doente seja acompanhado por dois socorristas.

De acordo com a Toyota, a intenção deste projecto, “desenvolvido expressamente para uso nos Jogos”, é a de colocar “aproximadamente 200 APM no serviço de apoio ao transporte de visitantes e funcionários”.