Rádio Observador

PS

“Estou disponível para candidatar-me pelo PS e não me importa o lugar”, diz Ferro Rodrigues

355

A informação tinha sido avançada ao Observador por António Costa e no final da última sessão da legislatura, Ferro Rodrigues confirmou que vai voltar a candidatar-se no círculo de Lisboa.

JOSÉ SENA GOULÃO/LUSA

O presidente da Assembleia da República, Ferro Rodrigues, afirmou esta sexta-feira à agência Lusa que está disponível para voltar a candidatar-se como deputado pelo PS, desvalorizando a questão do seu lugar na lista do círculo de Lisboa.

“Estou disponível para candidatar-me novamente a deputado pelo PS. Sou indiferente ao lugar que ocupar na lista pelo círculo de Lisboa. Isso pouco me importa”, declarou o presidente da Assembleia da República.

Na direção socialista sempre se considerou como certo que, se o PS vencer as próximas eleições legislativas, sendo Ferro Rodrigues eleito novamente deputado, então o antigo ministro dos governos de António Guterres e líder do PS entre 2002 e 2004 será novamente proposto para o cargo de presidente da Assembleia da República.

Questionado pela agência Lusa sobre as razões que o levam a entrar novamente nas listas do PS, o antigo secretário-geral socialista começou por se referir ao seu mandato como presidente da Assembleia da República na presente legislatura.

“Como ficou hoje visto, penso que correu muito bem. Felizmente, estou bem de saúde e, por isso, estou disponível para continuar nestas lutas”, disse.

O presidente da Assembleia da República foi esta sexta-feira aplaudido de pé por todas as bancadas, da esquerda à direita, após ter agradecido o trabalho dos deputados e “a confiança recíproca” que se foi “ganhando” nos últimos quatro anos.

Depois de a sua eleição no início da legislatura ter gerado críticas nas bancadas do PSD e CDS-PP por ter “rompido” com a tradição de o presidente da Assembleia da República ser oriundo do partido mais votado, hoje sociais-democratas e democratas-cristãos juntaram-se ao aplauso de pé a Ferro Rodrigues, que foi iniciado pelos deputados da bancada do PS.

“[Quero] agradecer o trabalho conjunto que todos tivemos, a confiança recíproca que fomos ganhando ao longo dos meses”, afirmou Ferro Rodrigues, que desejou a todos os deputados – não sabendo quais voltarão na próxima legislatura – as maiores felicidades pessoais e políticas.

O presidente da Assembleia da República saudou de forma especial os seus dois ‘vices’ que já anunciaram que não voltarão ao parlamento: José Matos Correia (PSD) e Teresa Caeiro (CDS-PP).

“E está encerrada a sessão”, declarou Ferro Rodrigues, pouco depois das 18:00, terminando um plenário que começou pelas 09:00, com uma pausa de pouco mais de uma hora para almoço.

Esta sexta-feira, em entrevista ao Observador, o secretário-geral do PS, António Costa, adiantou que Ferro Rodrigues voltará a ser candidato socialista a deputado.

“Sei que Eduardo Ferro Rodrigues está disponível para se recandidatar a deputado [nas listas do PS] à Assembleia da República e que, portanto, continuará a ser deputado”, disse.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Parlamento Europeu

Portugal poucachinho na Europa. E cá?

Bruno Martins

Se estes são os representantes que conseguimos ter, então não é de espantar que os Portugueses tenham cada vez menos interesse na Europa e que a abstenção continue a aumentar nessas eleições.

Combustível

Teorias da conspiração /premium

Manuel Villaverde Cabral

A única coisa que não sabemos ao certo acerca da greve dos camionistas é se o governo a combate a sério, servindo-se para isso da implantação do PS na organização do patronato, ou se finge combatê-la.

Combustível

Uma história de hipocrisia /premium

Paulo Tunhas
452

António Costa precisa, quanto mais não seja por causa da dúbia origem do seu poder, de afirmar constantemente a sua autoridade. Daí também ter encenado um espectáculo sem par.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)