A Alemanha presta este sábado homenagem aos autores do fracassado ataque a Hitler há 75 anos e ao seu mentor Claus von Stauffenberg, num momento em que a extrema direita tenta assumir o legado do antigo líder nazi.

A Operação Valquíria, um golpe que envolveu milhares de soldados e civis, é o mais famoso ato de resistência contra o regime de Adolf Hitler, aquando da Segunda Guerra Mundial.

Em 20 de julho de 1944, o oficial aristocrático von Stauffenberg escondeu um explosivo na sua pasta numa reunião no quartel general nazi perto de Rastenburg, agora na Polónia.

A tentativa de assassínio falha e o golpe é evitado. Hitler sobrevive com ferimentos leves.

O coronel, que participou da campanha africana do marechal Rommel, onde perdeu um olho e uma mão, bem como três outros conspiradores são executados na mesma noite. Cinco mil pessoas foram presas e 200 foram executadas.

“Aqueles que atuaram em 20 de julho são exemplos para nós”, elogiou recentemente a chefe de Estado alemã, Angela Merkel.