Uma bombista suicida matou nove pessoas e feriu 30 num ataque dos talibã a um hospital, no Paquistão, para onde já estavam a ser levados feridos de um tiroteio com a polícia, foi este domingo conhecido.

De acordo com a agência noticiosa AP, Salim Riaz Khan, um responsável da polícia de Dera Ismail Khan, no nordeste do país, junto à fronteira com o Afeganistão, disse que inicialmente dois homens armados em motas abriram fogo sobre a polícia numa área residencial, matando duas pessoas.

Segundo o responsável, a bombista suicida fez-se depois explodir à entrada do hospital, matando mais quatro membros da polícia e três civis que estavam a visitar familiares.

Entre os feridos estão oito polícias, alguns em estado crítico, de acordo com Salim Riaz Khan.

O ataque danificou a sala de urgências e obrigou ao seu encerramento, tendo os feridos sido levados para um hospital militar, segundo um responsável hospitalar que falou sob condição de anonimato, por medo de represálias.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Um especialista forense local, Inayat Ullah, disse que a bombista se fez explodir juntamente com sete quilos de explosivos com unhas e rolamentos.

O grupo extremista talibã reivindicou o ataque, mas não reconheceu que a bombista suicida foi uma mulher.

O exército paquistanês tem levado a cabo várias operações nos últimos anos contra os talibã e outras milícias junto à fronteira com o Afeganistão, tendo a violência diminuído, mas ocorrendo ainda ataques ocasionais, sobretudo com as forças de segurança ou minorias religiosas como alvo.