Rádio Observador

Óbidos

Semana Internacional do Piano de Óbidos começa neste domingo

O pontapé de partida vai acontecer no Centro Cultural das Caldas da Rainha com um concerto de Manuela Gouveia e a Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras.

CARLOS BARROSO/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

A Semana Internacional de Piano de Óbidos (SIPO) arranca hoje no Centro Cultural das Caldas da Rainha, com Manuela Gouveia e a Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras, num esforço por se estender à região.

O pianista italiano Bruno Canino atua pela primeira vez em Portugal, no âmbito da SIPO, que entre hoje e 05 de agosto apresentará 12 concertos de nove pianistas internacionais.

A primeira atuação do pianista e compositor de 84 anos em Portugal terá lugar no dia 27 de julho, no auditório municipal de Óbidos.

Com 50 anos de carreira, Bruno Canino compôs mais de 30 peças, percorreu quase todos os continentes e foi diretor da Secção de Música da Bienal de Veneza.

Segundo o programa divulgado em maio pela organização, a cargo da Associação de Cursos Internacionais de Música (ACIM), o evento contará com pianistas da Rússia, de Itália, do Brasil, da China, de Espanha e de Portugal, que, juntamente com os alunos das ‘masterclasses’, protagonizarão 12 concertos a realizar em Óbidos, nas Caldas da Rainha, no Bombarral e em Santarém.

O “objetivo de envolver mais municípios na cultura da região” defendido por Manuela Gouveia, uma das mentoras do festival, é expresso no facto de o programa abrir hoje nas Caldas da Rainha.

No palco do Centro Cultural e de Congressos das Caldas da Rainha atuam, na terça-feira, o Trio Tulipatan que conta com Margarida Natividade (soprano), Tiemin Wang (tenor) e Xavier Rivera, ex-pianista da orquestra da radiotelevisão belga e criador de diversas óperas contemporâneas em França e na Bélgica.

Em Óbidos, a SIPO apresentará, no Santuário do Senhor Jesus da Pedra, o cravista brasileiro Cristiano Holtz e o espanhol Josep Colom.

Já no Auditório Municipal de Óbidos terão lugar os recitais de Artur Pizarro, Mirta Herrera e Boris Berman.

Os concertos do chinês Wenfang Han e do italiano Lorenzo Pone (ambos em início de carreira e distinguidos em edições anteriores da SIPO com o Prémio ACIM / Antena 2) fecharão o festival, com recitais em Óbidos, no Bombarral e em Santarém.

A aposta na formação de jovens músicos mantém-se com ‘masterclasses’ de piano para as quais “estão inscritos 21 alunos de vários países do mundo”, disse à Lusa fonte da organização.

As ‘masterclasses’ serão ministradas por Artur Pizarro, Boris Berman, Bruno Canino, Josep Colom e Manuela Gouveia que estarão rotativamente a dar formação na Casa da Música, Igreja da Misericórdia e Casa da Barbacam.

Os alunos de Portugal, do Brasil, da China, da Islândia, entre outros países, realizarão, no final, dois concertos.

Como habitualmente, a SIPO contará com uma exposição de pintura, este ano da autoria de Fernando Marques de Oliveira, intitulada “Ostinato rigore/lines on plain landscape”.

Uma palestra de José Valle de Figueiredo, poeta, ensaísta e programador cultural, sob o tema “Dois poetas em Óbidos — Camilo Pessanha e Alberto Osório de Castro”, completa o programa.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Combustível

Os motoristas e o mercado

Jose Pedro Anacoreta Correira
338

Quando o Governo não consegue instrumentalizar politicamente os sindicatos, passa ao ataque. A luta e defesa dos trabalhadores é só para trabalhadores do Estado e filiados na CGTP.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)