O filme “The Burnt Orange Heresy”, do realizador italiano Giuseppe Capotondi, vai encerrar, em estreia mundial, a 76.ª edição do Festival de Cinema de Veneza, que vai decorrer de 28 de agosto a 7 de setembro, anunciou esta segunda-feira a organização.

“A heresia da laranja queimada”, em tradução livre, vai estrear-se no sábado, dia 7 de setembro, na Sala Grande do Palazzo del Cinema, na ilha italiana Lido di Venezia.

O filme conta com a participação dos atores Claes Bang, Elizabeth Debicki, Donald Sutherland e Mick Jagger, nos papéis principais.

Um “erótico e elegante thriller ‘neo-noir’ de Capotondi”, com refere o comunicado da organização, relata a história de James Figueras, crítico italiano de arte, que se relaciona com a “provocadora e sedutora americana” Benerice Hollis.

A pedido de Cassidy, colecionador de arte que os recebe no Lago de Como, em Itália, o casal terá de roubar uma peça de arte de Jerome Debney, “o recluso J.D. Salinger do mundo da arte”.

“James, um homem de profunda ambição, fará o que for necessário, desde incêndios criminosos e assaltos a assassinatos, para promover a sua carreira”, lê-se no comunicado.

O realizador italiano Giuseppe Capotondi, diretor de anúncios publicitários para marcas como a BMW e a Costa Cruises, tem trabalhado na produção e direção de séries de televisão, como “Berlin Station”, sobre espionagem, e “Suburra”, sobre o crime organizado, ambas produzidas pela Netflix.

Dirigiu também episódios de produções britânicas, como “Nocturne”, da série “Endeavour”, da ITV, exibida em Portugal, que coloca o jovem inspetor Morse a investigar um crime num colégio feminino.

Capotondi afirma-se, desde 1994, como produtor de videoclipes, tendo já colaborado com Melanie C, Emma Bunton, Natalie Imbruglia e com as bandas Skunk Anansie, Bush e Keane.

Dirigiu igualmente o documentário “Solomon”, com Massimo Coppola, uma produção sobre as Ilhas Salomão e sua improvável seleção de futebol, feita de jogadores não profissionais, quando só foi batida pela Austrália, nos play offs para o Mundial de 2006.

A primeira longa-metragem de Giuseppe Capotondi, “The Double Hour” (“A Hora Dupla”), estreou-se em 2009, na 66.ª edição do Festival de Cinema de Veneza, e foi exibida em Portugal alguns meses depois, na Festa do Cinema Italiano.