O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, considerou esta segunda-feira “totalmente falsas” as alegações de Teerão de que uma rede de espiões iranianos da CIA foi desmantelada.

“Os relatos de que o Irão deteve espiões da CIA são totalmente falsos. Zero de verdade”, escreveu Trump na sua conta da rede social Twitter.

Apenas mais mentiras e propaganda (como o drone que foi abatido) lançadas por um regime religioso que falha miseravelmente e não sabe o que fazer”, referiu o Presidente dos EUA, acrescentando que a economia do Irão “está morta e vai piorar”.

As autoridades de Teerão anunciaram esta segunda-feira que o Irão deteve 17 cidadãos iranianos alegadamente recrutados pelos serviços de informações dos Estados Unidos e alguns dos detidos já foram condenados à morte.

Irão condena à morte alguns dos 17 alegados espiões da CIA

Em conferência de imprensa, em Teerão, um oficial dos serviços secretos do Irão disse que os 17 detidos tinham como missão obter informações sobre o programa nuclear e bases militares iranianas. O mesmo responsável acrescentou que, na sequência das acusações, “muitos” já foram condenados à pena capital.

Os 17 iranianos foram detidos entre março de 2018 e março de 2018 no âmbito de uma operação de desmantelamento de “uma rede de espiões”.

De acordo com o mesmo responsável, algumas detenções tiveram lugar em bases militares e centrais nucleares, mas os suspeitos “não conseguiram levar a cabo as operações de sabotagem”. O oficial não se identificou, mas adiantou que ocupa o cargo de diretor do departamento de contraespionagem do governo do Irão.

O anúncio de Teerão ocorre numa altura em que se agravam as tensões na região, com o arresto de dois petroleiros de pavilhão britânico pela Marinha do Irão no Estreito de Ormuz.

Afinal são dois os petroleiros britânicos apreendidos pela Guarda Revolucionária Iraniana