A partir desta segunda-feira, os agregados familiares com mais de três membros já podem circular nos 18 concelhos da Área Metropolitana de Lisboa (AML) por 60 ou 80 euros por mês. Para tal, só precisam de pedir o novo passe social Navegante Família — um processo que se prevê longo e demorado.

Para começar, a família deve escolher um responsável para se deslocar a um dos postos de atendimento enumerados, onde deve entregar as declarações e documentação referente aos vários elementos do agregado familiar (como cópias do Cartão do Cidadão ou a declaração de IRS) – pode ter de apresentar até quatro documentos.

Para que o processo seja validado, os membros devem ter a mesma morada fiscal num dos 18 concelhos da área metropolitana de Lisboa, ter cartões Lisboa VIVA e devem ser familiares diretos. Assim, marido e mulher, filhos, netos, sogros e casais que vivam em união de facto há pelo menos dois anos podem beneficiar da nova modalidade.

Depois da primeira ida às bilheteiras, a família deverá esperar cerca de 10 dias — tempo avançado pela AML — para receber uma notificação via e-mail. Depois disso acontecer, deve regressar ao ponto de atendimento, desta vez já para operacionalizar e carregar cada um dos cartões. Os cartões Lisboa VIVA podem ser carregados todos no mesmo momento ou em momentos e locais diferentes.

A partir deste momento, todos os elementos inscritos podem usufruir do passe, que existe em duas modalidades: o Navegante Municipal, que, por 60 euros, permite que três ou mais pessoas se desloquem dentro de um município. Ou o Navegante Metropolitano, que permite circular em todos os 18 municípios, por um custo máximo de 80 euros mensais. No momento da inscrição, todos os membros do agregado familiar devem escolher a mesma modalidade.

Foi lançada uma linha de apoio para que cada família possa ver esclarecidas as dúvidas sobre os seus casos. O número 210 118 218 pode ser usado todos os dias, das 9h00 às 19h00, para esse efeito.