Nesta segunda-feira, os termómetros em Portugal Continental vão situar-se entre os 24 e os 39 graus, prevendo-se que seja no Alentejo e Centro que se registem as maiores temperaturas. Segundo a informação disponibilizada pelo Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), o calor vai permanecer durante toda a semana, registando-se uma ligeira descida perto do fim de semana.

A meteorologista Madalena Rodrigues, do IPMA, disse à Lusa que se prevê para esta segunda-feira céu pouco nublado ou limpo, com nebulosidade no litoral oeste no final da manhã e na faixa costeira ao longo do dia.

Castelo Branco, Évora e Beja serão os distritos mais quentes do país, com os termómetros a atingir os 39 graus. No extremo oposto estão os distritos do Porto e Aveiro, onde não se esperam mais de 24 graus. Em Lisboa e em Faro, os 33 graus que se vão fazer sentir vão permitir ir a banhos — com a temperatura das águas entre os 15 e os 20 graus.

“Amanhã [terça-feira] será um dia muito semelhante ao de hoje, mas prevê-se alguma instabilidade com possibilidade de aguaceiros e trovoada no interior norte e centro. (…) No entanto, em termos de quantidade de precipitação é muito pouca e não fará muita diferença [para os fogos]”, disse.

Em relação ao vento, Madalena Rodrigues indicou que haverá uma ligeira diminuição da intensidade, prevendo-se que seja moderado no litoral e nas terras altas.

Por causa do tempo quente, o IPMA colocou os distritos de Bragança, Évora, Guarda, Vila Real, Beja, Castelo Branco e Portalegre sob aviso amarelo devido à persistência de valores elevados da temperatura máxima até às 21h00 de quarta-feira. O aviso amarelo, o terceiro de uma escala de quatro, revela situação de risco para determinadas atividades dependentes da situação meteorológica.

A meteorologista do IPMA referiu ainda à Lusa que a tendência é para uma descida das temperaturas nas regiões do interior norte e centro entre os 3 e os 5 graus na quinta-feira.

Todos o país em risco muito elevado de exposição a raios UV

Portugal continental e o arquipélago da Madeira apresentam nesta segunda-feira um risco muito elevado de exposição à radiação ultravioleta (UV), segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

No arquipélago dos Açores, as ilhas das Flores e do Faial estão com níveis muito elevado, a Terceira com risco elevado e S. Miguel com níveis baixos.

Para as regiões com risco muito elevado e elevado, o IPMA recomenda a utilização de óculos de sol com filtro UV, chapéu, ‘t-shirt’, guarda-sol, protetor solar e evitar a exposição das crianças ao Sol.

O índice ultravioleta varia entre 1 e 2, em que o risco de exposição à radiação UV é baixo, 3 a 5 (moderado), 6 a 7 (elevado), 8 a 10 (muito elevado) e superior a 11 (extremo). O cálculo é feito com base nos valores observados às 13h00 em cada dia relativamente à temperatura do ar, humidade relativa, velocidade do vento e quantidade de precipitação nas últimas 24 horas.