Rádio Observador

Ucrânia

Confirmada maioria absoluta para o partido do Presidente Zelensky nas legislativas ucranianas

Estão contabilizados 98% dos boletins de voto. Partido de Volodymyr Zelensky garantiu 43% dos votos para os 225 lugares no parlamento unicameral. A segunda posição foi para o partido pró-russo.

Volodymyr Zelensky tomou posse como Presidente ucraniano em maio

TATYANA ZENKOVICH/EPA

Autor
  • Agência Lusa

O partido anticorrupção do novo Presidente da Ucrânia garantiu uma confortável maioria nas eleições para o parlamento nacional quando estão contabilizados 98% dos boletins de voto, permitindo-lhe ampla margem de manobra para tentar impor as prometidas reformas.

A comissão eleitoral nacional informou esta terça-feira que o partido Servidor do Povo (Sluha Narodum, SN) do Presidente Volodymyr Zelensky garantiu 43% dos votos para os 225 lugares no Verkhovna Rada (o parlamento unicameral) que são eleitos por escrutínio proporcional, num total de 450 deputados. Os candidatos do partido também lideravam a votação para os 176 dos 199 lugares escolhidos nas diversas comunidades eleitorais.

A comissão eleitoral disse que o partido pró-russo liderado por Viktor Medvedchuk, um aliado próximo do Presidente russo Vladimir Putin, garantiu a segunda posição a nível nacional com 13% dos votos, e elegeu 19 lugares individuais.

Zelensky, que tomou posse em maio, prometeu combater a enraizada corrupção no país.

Enfrenta ainda o desfio de tentar terminar com a guerra que se prolonga há cinco anos no leste da Ucrânia entre o exército e os separatistas pró-russos, que provocou mais de 13.000 mortos e implicou uma séria quebra no nível de vida da população, num país já considerado dos mais pobres da Europa.

O líder do SN, Dmytro Razumkov, já referiu que as principais medidas a aprovar pelo novo Verkhovna Rada incluem o fim da imunidade dos deputados suspeitos de corrupção, o estabelecimento de procedimentos para a destituição presidencial e a criação de agências anticorrupção independentes do Presidente e do parlamento.

Zelensky, um antigo comediante e empresário de espetáculos, sem experiência política mas com uma forte agenda anticorrupção, derrotou por larga margem o ex-Presidente Petro Poroshenko — no poder entre 2014 e 2019 — ao garantir 73% de votos na segunda volta das presidenciais em abril.

A sua vitória e o resultado das eleições legislativas refletem a frustração da Ucrânia com os círculos políticos do poder, e quando o país mantém uma guerra prolongada, regista desordem social, perdeu a Crimeia e prossegue o declínio económico.

De acordo com o analista Volodymyr Fesenko, citado pela agência noticiosa AP, o grande desafio de Zelensky será encontrar o equilíbrio possível entre um novo impulso para as reformas económicas liberais e a resolução dos problemas sociais e da pobreza.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Rússia

A síndrome de Istambul chegou a Moscovo /premium

José Milhazes
123

O Kremlin teria um sério teste à sua popularidade se permitisse a realização de eleições municipais em Moscovo e do governador de São Petersburgo limpas e transparentes. Mas isso não deverá acontecer.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)