Rádio Observador

Metro do Porto

Passe Família sem data para entrar em vigor na Área Metropolitana do Porto

Presidente da AMP tinha adiantado julho como data de lançamento do passe. Falta de previsão deve-se a "constrangimentos técnicos" que não permitem acautelar situações de "fraude".

JOSÉ COELHO/LUSA

O Passe Família, que em Lisboa já pode ser requerido, ainda não tem data para entrar em vigor na Área Metropolitana do Porto (AMP), uma vez que se mantêm os “constrangimentos técnicos” que não permitem acautelar situações de “fraude”.

Contactada esta terça-feira pela Lusa, a AMP mantém o esclarecimento prestado no início do mês, em que refere que não há ainda “elementos disponíveis para prestar a informação solicitada”, nomeadamente quanto à data prevista para a entrada em vigor daquele título, uma vez que se mantêm os “constrangimentos técnicos” enunciados anteriormente.

Em março, o presidente da AMP, Eduardo Vítor Rodrigues, dizia acreditar que seria possível que este título pudesse estar disponível em julho, aquando da entrada em vigor desta medida em Lisboa, mas já na altura não se comprometia com uma data em concreto.

“Não me quero comprometer com uma data, porque temos de negociar […] com as finanças e, como se sabe, há hoje um regulamento de proteção de dados que não é propriamente muito amistoso deste tipo de questões. Seria muito mau se eu estivesse aqui já a assumir um compromisso que depois por razões de relações institucionais pode não ser possível”, afirmou, à data, em entrevista à Lusa.

Aquele responsável sublinhava que, em causa estava um “problema técnico fiscal” que se prende com a necessidade de garantir que não há “margem para fraude”. “As medidas são todas elas muito boas se puderem ser olhadas como medidas justas. Nós estamos a trabalhar em conjunto com a Área Metropolitana de Lisboa que definiu como critério a declaração de rendimentos, o que me parece bem. É um assunto que está a ser estudado e havendo condições objetivas para isso, avançará”, explicou.

Com o “passe família”, todos os elementos de um agregado familiar que vivam na mesma casa tem acesso ao passe único por um preço fixo de 80 euros, correspondente ao valor de 2 títulos mensais.

Desde segunda-feira que este título pode ser requerido nos postos de atendimento dos operadores de serviço público de transporte de passageiros ou no portalviva.pt, por forma a puderem ser utilizados a partir de 01 de agosto.

No caso do “Navegante Família” metropolitano o valor do título é de 80 euros, já o municipal o valor será de 60 euros.

Num comunicado, a AML avança que para efeitos de acesso ao Passe Navegante Família, considera-se que integram o mesmo agregado familiar o requerente responsável e seus ascendentes, descendentes e afins (cônjuge ou pessoa em união de facto, avô, avó, pai, mãe, sogro, sogra, filhos, netos, aditados e tutelados).

Segundo o organismo, é ainda obrigatório que todos os membros do agregado familiar (requerente responsável e os outros beneficiários) sejam titulares do cartão Lisboa VIVA (cartão rígido, personalizado e com foto).

Para pedir o passe Navegante Família é necessário o preenchimento do requerimento de acesso, que se encontrará disponível nos sites da aml.pt, no portalviva.pt e nos balcões dos operadores de transporte indicados, além de entregar a documentação necessária relativa ao próprio e aos elementos do agregado familiar.

Após o pedido, a ativação do Navegante Família pode demorar até 10 dias.

Os utentes das áreas metropolitanas do Porto e Lisboa começaram em 01 de abril a sentir alívio nos preços dos transportes públicos, no âmbito do Programa de Redução Tarifária, uma medida que visa reduzir o uso do transporte individual.

No caso do Porto, foi criado um passe municipal de 30 euros, para viagens dentro do concelho ou até 3 zonas contíguas, e um metropolitano de 40 euros, que permite viajar em todos os concelhos da AMP, deste que integrados no sistema intermodal Andante.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Politicamente Correto

Os filhos do Vasco Granja /premium

Helena Matos

O reitor proibiu a carne de vaca. Os alunos se pudessem proibiam toda a carne. Em Portugal, eles são os filhos e netos do Vasco Granja. Gerações que, entre muita animação, estão a impor uma ditadura.

Turismo

A turistificação da economia algarvia

António Covas

Não é tarefa fácil falar de diversificação da base económica regional quando a atividade turística é aquela que remunera mais rapidamente as pequenas poupanças e os pequenos investimentos realizados.

Novo Acordo Ortográfico

Uma comunidade às avessas

José Augusto Filho

Da forma em que foi conduzido, o Acordo serve mais para enfraquecer a língua de Camões do que para disseminá-la. Quanto aos ganhos políticos e económicos esperados, foram até agora praticamente nulos.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)