Vai ser lançado na próxima terça-feira, 30 de julho, o livro “Fora da Circunstância”, composto por um conjunto de ensaios “sobre as grandes questões da actualidade” escrito por Maria de Fátima Bonifácio. A historiadora tem estado sob o olhar público desde que foi publicado um texto polémico, acusado de incitar à discriminação, no jornal Público.

O livro vai reunir ensaios sobre “o populismo, o federalismo europeu, a Direita em Portugal, o futuro do capitalismo, o Maio de 68, as relações entre Portugal e Angola, a fragilidade da democracia capitalista, o fim dos partidos e outros temas”, esclareceu a editora Dom Quixote num comunicado enviado à redação.

A obra é composta por uma coletânea de 32 crónicas escritas “desde 1990 até ao presente”, disse a autora no mesmo comunicado. “Hoje em dia, o mundo gira mais depressa do que o nosso pensamento. É difícil viver na permanente incerteza. Este livro, apesar do seu estilo algo dogmático, não passa de um amontoado de perguntas para que não tenho resposta.”, esclareceu.

Na crónica partilhada pelo Público, Maria de Fátima Bonifácio escreveu sobre a possibilidade de criar quotas para negros e ciganos no ensino superior, anunciada pelo Secretário Nacional do Partido Socialista, acusando-os de recusarem a sua própria integração. A historiadora afirmou ainda que ciganos e negros não “partilham, de um modo geral, as mesmas crenças religiosas e os mesmos valores morais”.

Esta opinião levou a SOS Racismo a avançar com uma queixa-crime no Ministério Público. Mamadou Ba, o dirigente da SOS Racismo, disse na época que o texto “incita ao ódio, promove o preconceito e o racismo e é ofensivo para qualquer pessoa racializada”.

Maria de Fátima Bonifácio doutorou-se e agregou-se em História Contemporânea de Portugal na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, onde foi docente de 1980 a 2006, e reformou-se em 2012 como investigadora-coordenadora do Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa. Colaboradora em diversos órgãos de comunicação social, é autora de várias obras, entre as quais “A Monarquia Constitucional, 1807-1910” (2010), “Memórias do Duque de Palmela” (2011) e “Um Homem Singular” (2013).