A Polícia Marítima conta ter 722 polícias em 2022, um objetivo desenhado pelo Ministério da Defesa através de concursos, sendo o próximo lançado em breve para 25 efetivos, anunciou esta quarta-feira o comandante geral desta força policial.

“Acredito que ainda esta semana será lançado um concurso nacional para novos efetivos. Pelo menos 25 devem entrar em breve. O objetivo é ter 722 polícias em 2022. Nos últimos quatro anos foram abertos dois concursos e essa é uma tendência para continuar”, disse o comandante geral da Polícia Marítima, Luís Carlos de Sousa Pereira.

O responsável, que falava aos jornalistas esta manhã à margem da inauguração do novo posto da Polícia Marítima em Vila Nova de Gaia, no distrito do Porto, apontou que atualmente esta força policial tem “cerca de 600 operacionais”, sendo a expectativa “chegar aos 722 em 2020”.

“Esta evolução crescente faz sentido face ao que tem sido o aumento de atividades na costa que, às vezes, é acompanhado de aumento de constrangimentos”, referiu Luís Carlos de Sousa Pereira, dando como exemplo os festivais de verão ou os desportos de mar como o surf.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“Cumprimos a nossa missão, temos apoio e as pessoas reconhecem o nosso trabalho, mas há necessidades e a Polícia Marítima, além das atividades marítimas, tem tarefas relacionadas com o policiamento e a fiscalização, portanto o reforço é sempre bem-vindo e importante”, acrescentou.

O comandante geral destacou ainda a parceria desta força policial com a Marinha, colaboração que permite, disse, que “mais de 95% dos efetivos da Polícia Marítima tenham funções operacionais e não administrativa”.