Foi um aviso. E o destinatário a Coreia do Sul. Assim justifica a Coreia do Norte o lançamento de dois mísseis de curto alcance na quinta-feira, que caíram no mar. Esta sexta-feira, Pyongyang afirmou que este lançamento foi “uma advertência solene aos belicistas militares sul-coreanos” e que Kim Jong-un “organizou e dirigiu pessoalmente” o ensaio. A informação foi avançada pela agência local KCNA, que a Reuters cita.

Kim ter-se-á mostrado satisfeito com os mísseis e destaca que serão difíceis de intercetar. A Coreia do Norte quer pressionar o país vizinho pare que este pare de importar armas e ponha fim aos ensaios militares.  Um porta-voz das Forças de Comando da Coreia do Sul afirma, no entanto, que o ensaio “não constituiu uma ameaça para os sul-coreanos nem para os Estados Unidos”.

Os projéteis foram lançados de uma cidade costeira às 5h00 da madrugada de quinta-feira e terão voado cerca de 600 quilómetros — distância que ultrapassa testes anteriores. Caíram algures no mar, entre a Coreia do Sul e o Japão.

Na quinta-feira, a Coreia do Sul já tinha falado de “um novo tipo de ameaça”, enquanto o Japão classificara como “extremamente lamentável” o lançamento dos mísseis.

Nos últimos dias, a Coreia do Norte tem aumentado a pressão sobre os Estados Unidos e a Coreia do Sul, na sequência das manobras militares previstas este verão entre Seul e Washington.